Becky G: nem má nem santa

Becky G: Nem Má Nem Santa
[tempo de leitura: 6 minutos]

Becky G finalmente entrega seu álbum de estreia, “MALA SANTA”, com uma sonoridade sólida repleta de pop latino e baladas dançantes.


AA vida de novos artistas é complicada. Em um mercado que ainda depende muito de grandes gravadoras, cantores ficam a mercê de seus contratos e da boa vontade dos executivos, que muitas vezes mantém seus atos na geladeira ou adiam constantemente seus álbuns de estreia. E este é o caso de Becky G (o G é de Gomez).

 

Becky G

  • Save
A primeira vez que a cantora apareceu no mercado foi em 2012, quando deu voz à música-tema da animação Hotel Transilvânia, Problem, com participação will.i.am. Becky, então, começou a lançar suas próprias faixas e em 2015 já tinha seis músicas em seu catálogo.

Inspirada por artistas como Christina Aguilera, Thalía e Jennifer Lopez (a quem prestou homenagem com Becky from the Block), o leque de Becky G girou em torno do pop e pop latino (devido sua descendência mexicana) por muito tempo. Com algumas pitadas de rap, a cantora lançou produções como Can’t Get Enough e Shower, seu maior sucesso até então (o single atingiu o pico de #16 na Billboard Hot 100, sendo seu primeiro e único Top 20).

Com um álbum planejado para chegar em 2015, a estratégia de Becky mudou completamente e o disco foi cancelado. No ano seguinte, a cantora, que até então tinha uma sonoridade bastante teen, passaria a focar sua carreira no mercado latino, só com faixas em espanhol – além de mais adultas, como logo ficaria claro. Assim, ao longo de três anos, Becky G lançou 13 singles, além de outra dezena como artista participação.

 

Para Maiores

Com a mudança de sonoridade, Becky G passou a adotar uma roupagem mais adulta em suas músicas. A nova fase começou com os gêneros latinos moombahton e tropical house, com Sola e Todo Cambio, logo adentrando o pop latino e reggaeton, com Mayores e Sin Pijama, duas de suas faixas de maior sucesso.

 

Mayores

  • Save

Capa do single

Mayores chegou ao mercado em julho de 2017, rapidamente escalando as tabelas musicais de inúmeros países. A música alcançou o pico de 12 países, como a Espanha, Peru e Paraguai, ainda debutando no Top 10 de outros 12 países. Nos EUA, a música ficou em #3 na Billboard Hot Latin Songs e #5 na Latin Pop Songs, duas das principais listas latinas da revista.

A música, que nasceu de uma brincadeira após a cantora virar notícia por começar a namorar um homem mais velho (a diferença era de apenas quatro anos), fala sobre a suposta preferência da artista por homens mais velhos. “Eu gosto dos mais velhos / Daqueles que se chamam de Senhores / Que abrem a porta e mandam flores“, ela canta no refrão.

Carregado pelas batidas do reggaeton e acompanhada de Bad Bunny, a música rapidamente estourou e colocou Becky G no mapa mundial. O videoclipe da música foi o primeiro da artista a atingir 1 bihão de visualizações, quase sete meses após o lançamento, em fevereiro de 2018.

 

Sin Pijama

O sano de 2018 também marcou um outro sucesso para Becky G. Em abril, a cantora lançou Sin Pijama, com participação de Natti Natasha, outro nome em forte ascensão no mercado latino.

Super sensual, a faixa, novamente apostando no reggaeton, usa de duplos sentidos para falar sobre sexo e desejo. Assim como ilustra o music video, a música brinca com a fantasia hípersexual criada pelos homens referente às Festa do Pijama entre mulheres – e o contraste, ao final do vídeo, do que realmente acontece.

#1 em quatro países e Top 10 em outros 12 países, além de aparecer em #4 na Hot Latin Songs da Billboard, Sin Pijama foi produzida pelo hitmaker latino Daddy Yankee e traz a participação de Prince Royce no videoclipe. E, assim como a citada anteriormente, a música atingiu 1 bilhão de visualizações, mas agora em um tempo recorde de seis meses. O single tornou-se o vídeo mais assistido do ano lançado por uma artista feminina, além do único de uma cantora a atingir a marca.

 

Má Santa

Aproveitando a boa maré, 2019 foi um bom ano para Becky G. Colhendo os bons frutos do trabalho, Gomez lançou participações com Maluma, Anitta, j-hope (integrante do boygroup de kpop BTS) e até mesmo ZAYN, com a versão em espanhol da música-tema do live-action de Aladdin. O ano também marcou, finalmente, a divulgação de seu primeiro álbum.

  • Save

Capa do álbum

MALA SANTA foi anunciado no dia 8 de outubro, de surpresa nas redes sociais. A pré-venda começaria no dia 11, com o lançamento da faixa-título, e o álbum seria disponibilizado uma semana depois, no dia 17.

 

Mala

Cheio de estrelas a frente e nos bastidores das faixas, MALA SANTA é uma presente já muito esperado. Becky G é uma artista talentosa, seja nos vocais ou nas composições – e é por isso que ela assina todas as 16 faixas que formam o compilado. As participações com Natti Natasha e Bad Bunny são prova e estão lá, assim como outras músicas que tornam o debut de Gomez memorável.

MALA SANTA pode ser identificada como duas partes em uma. Embora em português o título do disco signifique “Má Santa“, o compilado é facilmente explicado pela letra da faixa-título, onde a cantora afirma não ser nem má, nem santa (“Traga-me álcool para molhar minha garganta / Você precisa de uma como eu / Caladinha, mas às vezes eu sou má“). Assim, o álbum de divide em uma metade “má”,de batidas fortes, com reggaeton puro, pop e um pouco de trap, como na divertida 24/7, e uma outra metade “boa”, com composições mais melódicas e calmas.

 

Santa

  • Save
Na parte “santa”, o disco traz algumas produções como TE SUPERÉ, com participações de Zion & Lennox e Farruko, e a emocional ME ACOSTUMBRÉ, com Mau y Ricky. As duas faixas, sensuais e efusivas, contam duas visões de uma mesma situação amorosa, dando espaço para todos os cantores envolvidos mostrarem seus vocais e mostrarem suas forças individuais, que se entrelaçam e entregam dois deliciosos trabalhos.

Na primeira, Becky fala sobre tentar superar um relacionamento marcado pelo vai-e-vem, com uma singela referência à Power Rangers, filme que ela estrelou como a Ranger Amarela em 2017. Já na segunda, a cantora fala sobre tentar superar um amor que vai embora, enquanto tenta entender esse sentimento (“Eu me acostumei / Me acostumei a te perder / O que eu te dei nunca foi suficiente“).

Ainda seguindo nas baladas, EN MI CONTRA, uma de suas faixas solo, Gomez lamenta um relacionamento marcado por brigas, onde ela continua se sentindo conectada com a outra pessoa. Sentimental, é uma das faixas mais diferentes do álbum, marcado pela força do pop latino. É uma bela surpresa e dá espaço pra dar aquela choradinha.

  • Save

Com 52 minutos de duração, MALA SANTA navega entre músicas pra balada e para ouvir no cantinho do quarto, em letras que muito expressam amores mal resolvidos ou ilusões amorosas, com algumas faixas sensuais e de poder feminino. Mas, independente do conteúdo, o álbum comprova a força de Becky G e a consagra como um dos maiores e principais nomes do pop latino atual. E com o gênero em pauta no mercado mundial, Gomez tem todas as ferramentas pra continuar bombando em diferentes mercados – inclusive no norte-americano, caso ela decida voltar a atacar nele.


PLAYLIST

  • Save

vics

tem 24 anos e é formado em Jornalismo pela PUC Minas, com um MBA em Comunicação e Marketing. é o Diretor de Arte da revista, sendo o responsável pela criação da identidade visual da zine. ainda, escreve matérias sempre que tem uma boa pauta.

ao todo, já assistiu o correspondente a 13 meses em Séries, três meses em Filmes e em 2017 foram dois meses em reprodução de Música.

Back To Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap