Na Prateleira de Cima | Spotlight – Segredos Revelados

Na Prateleira De Cima | Spotlight – Segredos Revelados

“Essa investigação teve um resultado perturbador – dezenas de padres de Boston haviam molestado menores, e em muitos casos os bispos tinham conhecimento desse abuso –, revelado em uma série de reportagens publicadas no começo de 2002, o que deu início a um dos mais graves desafios à hegemonia da Igreja Católica na atualidade.”

 

Publicado originalmente nos Estados Unidos sob o título Betrayal: The Crisis in the Catholic Church em 2002, Spotlight – Segredos Revelados relata as descobertas feitas a partir da investigação de um grupo de jornalistas que vieram a ganhar o Prêmio Pulitzer em 2003, ano seguinte à série de publicações do jornal The Boston Globe que abalaram o mundo. A premiação se deu por terem denunciado casos de abusos sexuais e feito com que Igreja Católica prestasse contas. Dezenas de crianças em Boston foram molestadas por padres que agiam com a certeza da impunidade, já que as autoridades religiosas disfarçavam seus crimes há anos. A investigação revelou a exorbitante quantia desprendida pela Igreja Católica em troca do silêncio das vítimas de pedófilos, que vestiam hábito e tinham a Bíblia em mãos. A denúncia estremeceu os alicerces da Instituição e deixou fiéis atônitos e enraivecidos – afinal, aquela que deveria ser a casa de Deus estava corrompida. O livro é base para o filme indicado ao Oscar 2016, o qual levou as estatuetas de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original e trouxe à tona mais uma vez o abuso de poder cometido por um dos mais respeitados círculos da sociedade.

Apesar do filme ter sido inspirado na obra literária, a adaptação cinematográfica recheia a investigação com detalhes dos bastidores ao passo que os jornalistas fazem a coleta de dados. Já o livro foca nas reportagens do The Boston Globe publicadas a partir da equipe formada pelos repórteres Kevin Cullen, Matt Carroll, Michael Paulson, Michael Rezendes, Sacha Pfeiffer, Stephen Kurkjian, Thomas Farragher e Walter V. Robinson, que agiam sob o codinome que deu título ao filme. A edição de Spotlight – Segredos Revelados de 2016, pela Editora Vestígio, traz em seu prefácio um destaque ao jornalismo investigativo e sua importância em um momento no qual jornalistas perdiam seus empregos e redações fechavam as portas. O diretor Tom McCarthy e o roteirista Josh Singer descrevem a esperança de que o filme e o relançamento do livro argumentassem a favor da tradicional e fiel apuração.

  • Save

Capa do livro

Na introdução, o leitor descobre o que atiçou o faro dos repórteres. Anteriormente, o Boston Globe havia publicado o caso de John J. Geoghan, um padre que molestava crianças e foi afastado com licença médica – mas que continuou a fazer vítimas – e o Cardeal Bernard F. Law, responsável por lidar com o caso, confessando ter conhecimento das ações do padre. O acobertamento dos casos pelo bispo fez com que a equipe de investigação fosse atrás da história para saber se aquele era um acontecimento singular ou pertencente a um padrão. Sendo The Boston Globe o único jornal a persistir e possuir a coragem de afrontar essa história, foram os jornalistas desse jornal que forçaram a arquidiocese de Boston a romper a confidência de documentos internos e expuseram, por fim, as dimensões do escândalo.

Até 2002, cerca de 200 pessoas tinham registrado queixas contra o Padre Geoghan por abuso sexual e, a partir desse número alarmante, os repórteres descobriram uma série de ocultações por parte de altos membros do clero para proteger seus padres, fazendo girar milhares de dólares na tentativa de silenciar as vítimas. A cada reportagem publicada no Boston Globe mais casos de abusos emergiam. Eram crianças e adolescentes que, agora adultos, compartilhavam suas histórias e ajudaram na composição do livro, juntamente com depoimentos e entrevistas de familiares, médicos, padres, psicólogos, policiais, políticos, professores, promotores, assim como membros e funcionários da Igreja.

Cada capítulo do livro foca em um momento dentro dos escândalos, totalizando nove reportagens que mostram o avanço da crise, desde os primeiros artigos até o abandono da instituição religiosa por parte de muitos católicos e a necessidade por pressão do clero de afastar e entregar os padres acobertados à justiça. A revolta da população, em sua maioria composta por fiéis, se deu principalmente pela Igreja ter mais simpatia pelos seus membros pervertidos do que pelas crianças que caiam em suas mãos. As reportagens do The Boston Globe expuseram um assunto até então ignorado pela população e posto em baixo do tapete pela hierarquia religiosa.

Em vez de contar uma história linear, o livro serve como um dossiê ao trazer documentos e fotografias e todas as demais informações apuradas pelos componentes da equipe Spotlight. É didática a forma como são apresentadas cada um dos elementos, que no final formam uma grande denúncia. O livro é o resultado de um trabalho jornalístico árduo, de busca pela verdade e justiça, quebrando paradigmas tão pesados como os incrustados pela religião. Em uma época na qual o jornalismo se encontra em uma fase dita crítica, consumir um livro como este faz com que lembremos do verdadeiro significado da profissão.

Apesar do peso trazido pela leitura através dos fatos diretamente expostos e narrativa vívida, a linguagem de Spotlight – Segredos Revelados é moderna, fluída e acaba por envolver o leitor. O modo como o livro é desenvolvido e compartimentado prejudica a linearidade da história, porém compensa ao trazer cada detalhe ao seu tempo para que ela se faça compreensível em seu cerne. Vale ressaltar que Spotlight é o tipo de obra que nos faz não apenas relembras suas passagens, mas também discutirmos sobre o conteúdo em suas páginas e o que isso reflete sobre e para o mundo. A linha tênue entre entretenimento e informações é ultrapassada soberbamente e não apenas pelo tema proposto, mas pela forma com a qual ele é exposto.

  • Save

A equipe Spotlight na versão cinematográfica

No final das contas, não é uma leitura leve. Porém, o livro logo mostra-se como uma leitura importante ao forçar o leitor a deixar o prazer de lado e enfrentar a realidade. Esta é a história sobre crianças abusadas por aqueles nos quais confiavam. É a história de uma Igreja que protege mais a si do que aqueles que prometeu cuidar. É a história de uma instituição milenar e corrupta. É a história de pessoas que superaram traumas e tiveram coragem de se expor para evitar que o mesmo acontecesse com outros. É, por fim, a história que faz homens santos e fiéis ansiarem pela mudança.

“Se existem heróis nessa história pavorosa, são as vítimas, que encontraram sua voz e sua coragem, depois de anos sofrendo sós e em silêncio, para sair das sombras e dizer, como disse uma delas, ‘Isso aconteceu comigo, e isso é errado”.

vitória c. rocho

estudante de Jornalismo na Universidade de Santa Cruz do Sul. aos 21 anos trabalha em uma biblioteca e dedica seu tempo livre a coluna sobre Filmes e Séries em um jornal local, além de escolher o próximo destino de viagem.

Back To Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap