fbpx
"Vincenzo" triunfa não só na narrativa, mas pelos personagens carismáticos e uma dosagem equilibrada entre o drama, o romance e a comédia.

“Vincenzo” triunfa não só na narrativa, mas pelos personagens carismáticos e uma dosagem equilibrada entre o crime, o romance e a comédia.


SSendo ou não situações de prazeres culposos, vilões tendem a prender a nossa atenção, a ponto de torcer-mos por suas vitórias — principalmente quando são bem interpretados e bem construídos. Dito isso, o grande trunfo de Vincenzo reside justamente em seu protagonista, um anti-herói de história cativante, um sólido desenvolvimento narrativo e um charme singular, fruto de sua hipnotizante beleza e clássica compostura.

No drama coreano (“Dorama“) de 20 episódios da tvN, Vincenzo Cassano (Song Joong-ki) é o Consigliere (conselheiro/braço direito) de uma famosa família de mafiosos italianos. Com a morte do pai, ele tem sua segurança comprometida devido o ciúmes que seu irmão sempre sentiu pelo papel que Vincenzo exerceu ao lado do chefe familiar. Ligeiramente acoado, Cassano retorna para sua terra natal em busca de um tesouro que o ajudará sumir do mapa e recomeçar a sua vida.

O grande problema por trás desse pequeno sonho é que o tal tesouro (a bilionária herança em ouro de um magnata chinês) está guardado em um cofre secreto, enterrado na estrutura de base de um prédio comercial-residencial. Para retirar o ouro, Vincenzo precisará realocar todos os inquilinos e derrubar o edifício, algo que rapidamente se mostrará como uma missão quase impossível.

 

Drama do Ano

Distribuído internacionalmente pela Netflix, Vincenzo sabe como dosar seus personagens de forma sóbria. Cada indivíduo tem o seu respectivo arco, ao mesmo tempo em que suas histórias se entrelaçam diretamente à narrativa central do programa. Assim, cada ator tem um momento especial para brilhar e trazer um pedaço das diferentes cores que compõe a série.

Une-se a isso o equilíbrio perfeito entre o thriller do gênero criminal, a leveza da comédia e a emoção por trás do drama. Juntos, o combo dá ao show uma identidade própria e o torna atraente e estimulante, sendo impulsionado pelo carisma do protagonista anti-herói mafioso e de toda a sua trupe de seguidores e inimigos.

MÚSICA
Os doramas são sempre acompanhados de uma música-tema, conhecida como OST. Para Vincenzo, a faixa Adrenaline é cantada em duas versões. A primeira, em inglês, é apresentada por Solar, integrante do grupo de k-pop MAMAMOO, enquanto a versão italiana fica por conta da solista Aalia.

Inclusive, uma das coisas que faz de Vincenzo tão encantador é toda a dinâmica caótica que rapidamente se instaura no drama. Os moradores-comerciantes do Geumga Plaza são figuras peculiares que irão virar uma pedra incômoda nos sapatos italianos de Vincenzo, que terá que aprender não só a navegar cada uma dessas personalidades, mas, de alguma forma, ganhar suas respectivas confianças para seu plano ser bem sucedido.

Paralelo a este problema, os moradores do Geumga Plaza terão o seu próprio obstáculo, em um arco que coloca como centro uma famosa firma de advogados e um poderoso conglomerado industrial, com personagens narcisistas, egocêntricos e psicopatas — o completo oposto dos divertidos e benevolentes moradores do prédio comercial.

 

V de Vitória

Para os que não acompanham com proximidade a indústria sul-coreana, Vincenzo é a perfeita oportunidade para entender o motivo pelo qual Song Joong-ki é um dos atores mais bem pagos do cinema nacional. Seu Vincenzo é genialmente contido e dono de uma áurea enigmática. Somado às outras nuances que o ator introduz ao papel, o personagem-título transforma-se no anti-herói mais heróico da televisão, daqueles que o público não encontra problema algum em justificar suas ações (por mais frias que sejam).

Jeon Yeo-been traz leveza para tela. A advogada Hong Cha-young é uma mulher de energia peculiar e uma figura interessante para um ambiente profissional tão masculino. Sua relação com Vincenzo fazem com que o telespectador possa ir desvendando novas camadas de ambas as histórias, enquanto a personagem cresce cada vez mais durante os episódios — situação muito similar com a de Jang Han-seo (Kwak Dong-yeon), o apaixonante e solitário CEO do conglomerado Grupo Babel.

Porém, o grande destaque fica com Ok Taec-yeon. O ator, membro do consagrado grupo de k-pop 2PM, é o responsável por roubar a cena com a sua atuação monstruosa e de inimagináveis reviravoltas. Jang Jun-woo é o papel de sua vida. O carisma do personagem, que constrasta categoricamente com o de Vincenzo, assim como o seu timing cômico, gerado pela americanização de sua personalidade, levam os holofotes para o assistente jurídico de forma constante. Seu crescimento é exponencial.

Vincenzo e Cha-young

Como um todo, Vincenzo é um incrível achado para os amantes de seriados. Divertido, assustador, de tirar o fôlego, engraçado, emocional e apaixonante, a produção é viciante do primeiro ao último episódio. E enquanto arrisca em uma narrativa um tanto não-convencional, que no final é surpreendentemente certeira, É a pedida por encomenda para os amantes de qualquer gênero citado até então. Difícil arrepender.

Compartilhe

Twitter
Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn
Pocket
relacionados

outras matérias da revista

Ilustração
Vitor Santos

Ilustração Vitor Santos #1: Sankofa

vitor santos 19 anos ribeiro bonito inspirações Mike Azevedo, Cesar Rosolino e Guilherme Freitas trabalho dos sonhos: trabalhar em uma empresa que receba destaque pelo que faz e tenha um grupo de profissionais disposto a aprender e ajudar gostaria de trabalhar com: ilustração e concept art para games trabalha atualmente com: graduando de design na Unesp portfólio: behance Sankofa é um projeto que visa conscientizar as pessoas sobre a escravidão, racismo e também preconceito, através da imagem. O nome Sankofa, é inspirado no símbolo africano de um pássaro que voa para frente olhando para trás. O ideograma é da tradição

Leia a matéria »
Back To Top