Chega a época natalina na gigante do streaming

Chega A época Natalina Na Gigante Do Streaming
[tempo de leitura: 8 minutos]

A Netflix empolgou nas produções de Natal este ano e deixou o mês de dezembro ainda mais mágico para quem gosta da data. Confira abaixo alguns dos lançamentos natalinos da plataforma!

 

Deixe a Neve Cair

O filme Deixe a Neve Cair é uma adaptação do livro de mesmo nome, que contém três contos natalinos dos autores John Green, Lauren Myracle e Maureen Johnson. A história se passa em Laurel, Illinois, nos Estados Unidos e tudo gira em torno das 24 horas da véspera de Natal, quando ocorre uma nevasca e deixa todos presos lá. O longa reúne três situações distintas que se alinham ao final do filme.

Julie (Isabela Merced) é uma jovem que tem uma mãe doente, de quem precisa cuidar. Ao receber uma proposta de bolsa para estudar numa universidade em Nova York, ela se vê indecisa entre continuar na cidade junto com a família ou ir atrás dos seus sonhos. No dia em que se passa o filme, ela conhece Stuart (Shameik Moore), um cantor que vem fazendo muito sucesso entre os adolescentes. Ela acaba revelando sua angústia com ele, que ajuda a decidir como trilhar seu futuro.

O outro nicho conta com três amigos Tobin (Mitchell Hope), Angie (Kiernan Shipka) e Keon (Jacob Batalon). Tobin é apaixonado por Angie e fica extremamente frustrado quando ela é convidada para sair com JP (Matthew Noszka), um garoto mais velho e que é absolutamente perfeito em tudo o que faz. Keon tem o sonho de ser um DJ famoso, mas esse desejo parece estar cada vez mais distante quando todos os seus planos de tocar em uma festa vão por água abaixo.

  • Save
O elenco de “Deixe a Neve Cair”

Por fim, Dorrie (Liv Hewson) durante seu turno como garçonete, acaba atendendo a mesa onde estava Kerry (Anna Akana), uma garota com quem ela estava conversando e começando a gostar. Contudo, quando ela tenta falar com Kerry, não tem uma reação tão positiva quando esperava. Enquanto isso, sua melhor amiga Addie (Odeya Rush), também vive problemas de relacionamento, pois parece que seu namorado não lhe dá a devida atenção.

 — A nossa crítica de “Deixe a Neve Cair” 

É um filme bem adolescente, como já era de se esperar pelo elenco. Aborda questões significativas para a idade, como amizade, relacionamentos, carreira e colocar na balança o que realmente importa.

 

Um passado de presente

Após conquistar nossos corações com a história fofíssima de A Princesa e a Plebeia, a Netflix trouxe mais uma vez a Vanessa Hudgens como protagonista de outro longa natalino, Um Passado de Presente. Nessa época do ano, o que não faltam são filmes  clichês, com uma história bem água com açúcar e garantia de final feliz. Mas, vamos combinar, que nada disso é ruim. Muito pelo contrário, são esses clichês que queremos ver.

Na trama, Sir Cole (Josh Whitehouse) é um cavaleiro da Idade Média que habita na Inglaterra do século XIV. Um dia ele é magicamente teletransportado por uma misteriosa senhora para os Estados Unidos de 2019. O motivo para essa situação não é tão bem explicada, mas seria muito complexo ter toda uma lógica por trás de uma comédia romântica adolescente com menos de duas horas de duração. Pois bem, antes da viagem no tempo, Sir Cole fica sabendo que só voltará quando cumprir sua missão, que ele não faz ideia de qual seja. E ele precisa fazer isso até a véspera de Natal.

Ao chegar no século XXI, ele conhece Brooke (Vanessa Hudgens), uma doce professora de Ciências que está desiludida sobre o amor. Durante uma uma nevasca, ela acaba não vendo o cavaleiro na rua e o atropela. Graças à armadura, ele não se machuca, mas toda a sua confusão sobre onde está e porque o mundo é tão diferente da época em que ele vivia é explicada como uma perda de memória pelo acidente. Sentindo-se culpada por ter atropelado o jovem, Brooke o acolhe em sua casa e passa a conhecer melhor Sir Cole.

  • Save
Josh Whitehouse e Vanessa Hudgens em “Um Passado de Presente”

A maior graça do filme é ver a reação do cavaleiro ao conhecer objetos atuais, como carros, televisões ou geladeiras. Seu modo de falar e agir também destoa muito das outras pessoas, sendo uma fórmula perfeita para arrancar risadas do espectador. Contudo, esses momentos de Sir Cole descobrindo o mundo pós-moderno foram repetidos várias e várias vezes. As piadas funcionaram na primeira ou na segunda vez, mas não dá para rir toda hora da mesma coisa, certo?

Juntamente com a história de viagem no tempo, Um passado de presente também traz aquele romance zero inesperado do casal principal, mas é exatamente isso que a gente quer assistir. A química deles vai aparecendo aos poucos e, apesar de ser um final óbvio, não deixa de ser bonito de ver. Além disso, o longa também tem boas mensagens sobre valorizar tradições e ajudar o próximo. É um filme coração quentinho, com momentos fofos e que deixam a gente cheio de esperança para o melhor feriado do ano.

 — A nossa crítica de “A Princesa e a Plebeia” 

Netflix, faça o favor de manter um filme com a Vanessa Hudgens por Natal, viu? Já está virando tradição.

 

Feliz Natal e Tal

Além de filmes natalinos, a Netflix também apostou em séries com a temática e com um elenco ex-Disney em peso. Feliz Natal e Tal se passa durante as festas de final de ano dos Quinn, uma família da Filadélfia cheia de particularidades e bem unida. Neste ano, Emmy Quinn (Bridgit Mendler, de Boa Sorte, Charlie! ), que mora em Los Angeles, levou seu namorado Matt (Brent Morin) para conhecer toda a família. Ele não é tão bem recebido quanto gostaria, principalmente pelo sogro Don (Dennis Quaid, de Operação Cupido) que não o considerou bom o bastante para a filha.

Além de Emmy, a família Quinn também é composta por seus irmãos Patsy (Siobhan Murphy), Sean (Hayes MacArthur) e Kayla (Ashley Tisdale, de High School Musical). Patsy é casada com Todd (Adam Rose), Sean com Joy (Elizabeth Ho), e Kayla com Alan (Tyler Ritter). Os cunhados, que sabem muito bem como toda a dinâmica da família funciona, têm uma espécie de clube entre eles, para desabafarem sobre toda a loucura e também ajudam Matt a entender melhor como tudo funciona.

Apesar de ser uma série cômica, a construção do humor não é tão engraçada assim. Um sogro tratar mal o genro em qualquer situação não é algo que de fato faça rir, ainda mais quando ele não tem nenhum motivo justo para odiar Matt. Ainda que os momentos em família tenham algumas cenas engraçadas, não são tão divertidos de assistir quanto Modern Family, por exemplo.

  • Save
O elenco de “Feliz Natal e Tal”

Contudo, ainda que a narrativa não siga tão bem o ramo da comédia, Feliz Natal e Tal apresenta algumas discussões bem interessantes sobre religião, orientação sexual e relacionamentos de forma geral. Embora não se aprofunde em nenhum tema, passa uma mensagem interessante sobre a importância de aceitar todos os membros da família como eles são.

 

Klaus

Animações natalinas também apareceram no catálogo da Netflix, sendo a primeira animação original da plataforma. O filme Klaus conta um pouco sobre a origem do Papai Noel e da entrega de presentes, tendo a frase “um verdadeiro ano de benevolência sempre desperta outro” como a mensagem principal da história.

Jesper (Jason Schwartzman) é um jovem muito rico e bastante egoísta. Ele estuda na academia postal pois seu pai é o presidente dos correios, mas ele não leva o trabalho a sério. Pelo seu comportamento, seu pai o envia para uma cidade chamada Smeeresnburg com a missão de enviar seis mil cartas em um ano, e, caso contrário, perderá sua herança e todos os privilégios do berço de ouro.

Smeeresnburg é aquela cidade que ninguém quer ir. Completamente afastada e esquecida por todos, é marcada por brigas entre dois clãs e não tem nenhuma alegria. As crianças não estudam e nem possuem brinquedos, as pessoas são rudes e o local tem um aspecto triste e com marcas dos conflitos internos.

Para conseguir enviar logo todas as seis mil cartas, Jesper tem a ideia de incentivar que as crianças enviem correspondências pedindo presentes para o Papai Noel. Na cidade, mora Klaus (ou Noel, em português), um velho carpinteiro que tem em sua casa quantidade imensa de brinquedos feitos em madeira. Como as crianças não têm com o que brincar, logo embarcam na ideia e passam a enviar as cartinhas. Além de Klaus (J.K. Simmons), outra personagem que ajuda Jesper na missão é Alva (Rashida Jones), uma professora que passa a ensinar algumas crianças a ler e escrever, para que consigam fazer seus pedidos.

Junto com a necessidade de ir ao correio com uma carta e uma moeda, Jesper também avisa que somente as crianças com bom comportamento receberão os presentes. Essa exigência faz com que todas as crianças mudem do dia para a noite, passando a fazer gentilezas e ajudar o próximo. A nota atitude das crianças comove os adultos da cidade, que logo passam também a adotar os atos altruístas.

  • Save
A animação “Klaus”

Pouco a pouco, o velho Klaus/Noel começa a se parecer mais com o Papai Noel que habita no imaginário coletivo, usando as roupas vermelhas e andando de trenó. O clima da cidade muda completamente e Jesper passa a fazer o trabalho para ajudar as crianças, e não mais para alcançar as seis mil cartas e sair de Smeeresnburg.

A animação segue aquele estilo que é perfeita para crianças e adultos. Conta a lenda do Papai Noel de uma forma interessante e retrata claramente como a gentileza é capaz de mudar o mundo.

O filme foi dirigido por Sergio Pablos, que também trabalhou em Meu Malvado Favorito e Pé Pequeno.

 

O Natal está no ar

Rush Williams (Romany Malco) e seus quatro filhos vivem uma vida de muito luxo. Seu trabalho como DJ de uma rádio famosa garantem bastante dinheiro e a oportunidade de mimar os filhos e dar tudo o que pedem. Ficou viúvo cedo e, por isso, compensa a ausência da esposa dando presentes caros para as crianças.

Inesperadamente, ao final do ano, a rádio onde trabalha é comprada por uma grande companhia de comunicação. Rush e sua produtora e namorada, Roxy Richardson (Sonequa Martin-Green), perdem o emprego e começam a pensar em estratégias para seguir com as carreiras. Apesar de ganhar muito dinheiro, Rush não fez economias ao longo dos anos. Por isso, é obrigado a vender a grande casa onde mora e avisar aos filhos que não ganharão os presentes caríssimos que pediram de Natal.

Rush, junto com seus filhos Jamal (Amarr M. Wooten), Mya (Deysha Nelson), Evie (Andrea-Marie Alphonse) e Gabby (Selena Marie Alphonse) mudam-se para sua antiga casa, onde atualmente mora, Jo (Darlene Love), tia de Rush, que ajuda na criação deles. Eles são obrigados a adotar um estilo de vida mais humilde e perceber que, no Natal (e na vida, de forma geral), é mais importante estar rodeado de familiares e amor do que ganhar grandes presentes.

Apesar do roteiro simples e de seguir o modelo de comédias natalinas que a Netflix vem lançando, O Natal Está No Ar possui atores com uma boa dinâmica em equipe, principalmente a dupla Romany Malco e Sonequa Martin-Green, que carregam uma química maravilhosa. O elenco é divertido e funcionou bem, com cada um tendo seu papel na história. Sem grandes surpresas e reviravoltas, o longa cumpre o que promete: risadas e as boas mensagens natalinas sobre a importância da família. O retorno à antiga casa também revive as memórias da já falecida mãe, o que causa alguns momentos emocionantes, e bem pontuais.

  • Save
Elenco de “O Natal Está no Ar”

Diferente das outras produções natalinas da Netflix, essa destacou-se por ter um elenco majoritariamente negro. No quesito representatividade, a plataforma está investindo bastante, e conseguiu trazer um pouco da cultura afro-americana para as telas neste final de ano.

Deborah Almeida

deborah almeida

mineira, jornalista e feminista. viciada em filmes adolescentes e de terror, amante de seriados e enaltecedora das divas pop. tanto 8 quanto 80, apaixonada por palavras, colecionadora de cartão postal e louca dos tsurus de origami.

Back To Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap