fbpx

Indicação / Cinema Brasileiro

[tempo de leitura: 4 minutos]

Em 19 de junho é celebrado o Dia do Cinema Nacional e para celebrar a data, preparamos uma lista com grandes filmes da produção brasileira.


JJunho foi o mês do Cinema Brasileiro, com o dia 19 sendo dedicado especialmente a ele. A data presta homenagem a Afonso Segreto, ítalo-brasileiro que é o primeiro diretor e cinegrafista do país. Ele foi o responsável por fazer as primeiras imagens em movimento gravadas em território nacional, em 1898. O resultado é um registro documental composto por cenas da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

A exibição foi feita no Salão Novidades de Paris, a primeira sala de cinema do Brasil, inaugurada por Paschoal Segreto e José Roberto Cunha, na Rua Ouvidor, também no Rio de Janeiro. Desde então a produção audiovisual no Brasil ganhou amplitude, projeções internacionais e dezenas de prêmios, mesmo que enfrentando diversos desafios ao longo dos anos. Confira alguns filmes que marcaram o Cinema Brasileiro.

 

Limite” (1931), de Mário Peixoto

Limite é considerado o melhor filme brasileiro de todos os tempos pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). Lançado em 1931, o longa dirigido por Mário Peixoto mostra três pessoas que estão em um barco à deriva relembrando o passado. Uma das mulheres conseguiu escapar da prisão, a outra estava desesperada e o homem tinha perdido a amante. Cansados de remar, eles se conformam e esperam apenas a morte. Os relatos são em flashback. Você encontra o filme no YouTube.

 

O Pagador de Promessas” (1962), de Anselmo Duarte

O primeiro filme do Brasil a conquistar a Palma de Ouro, prêmio máximo do Festival de Cannes, e o primeiro da América do Sul a ser indicado ao Oscar de Melhor filme estrangeiro, é baseado na peça teatral homônima do dramaturgo Dias Gomes. O Pagador de Promessas conta a história de Zé do Burro (Leonardo Villar), um homem humilde que enfrenta a Igreja Católica ao tentar cumprir a promessa feita em um terreiro de Candomblé de carregar uma pesada cruz de madeira por um longo percurso. Confira no YouTube.

 

Central do Brasil” (1998), de Walter Salles

Responsável por colocar o Brasil no cenário do cinema mundial ao ser indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e de Melhor Atriz, para Fernanda Montenegro, Central do Brasil sem dúvidas abriu alas para o cinema feito no país. O longa se passa no centro do Rio de Janeiro, na estação Central do Brasil.

Por lá, Dora (Fernanda Montenegro) escreve carta para pessoas analfabetas para conseguir dinheiro extra. Um dia Josué (Vinícius Oliveira) e sua mãe vão até lá para pedir que ela escreva para o pai do garoto, já que ele nunca o conheceu. Ao sair da estação, a mãe é atropelada. O garoto fica desabrigado e, assim, Dora parte em uma jornada com o menino para encontrar a família paterna. Essa história você confere no Telecineplay e no YouTube.

  • Save

 

O Auto da Compadecida” (2000), de Guel Arraes

Nos anos 2000 o Brasil e o mundo se encantaram pela adaptação da peça escrita por Ariano Suassuna, dirigida por Guel Arrares. O longa, adaptado da série, conta as peripécias de João Grilo (Matheus Nachtergaele) e Chicó (Selton Mello), dois homens que lutam pela sobrevivência no sertão brasileiro. O longa contou com a participação de Fernanda Montenegro. Ganhou quatro prêmios no Grande Prêmio do Cinema Brasil. Uma produção que reflete bem o regionalismo e a diversidade do cinema brasileiro. O filme está disponível no Youtube.

 

Cidade de Deus” (2002), de Fernando Meirelles

Único filme brasileiro a alcançar o maior número de indicações no Oscar, Cidade de Deus foi adaptado do livro homônimo do escritor Paulo Lins. Sendo assim, o longa retrata o crescimento do crime organizado na favela Cidade de Deus, no Rio de Janeiro.  A história é contada sob a perspectiva de Buscapé (Alexandre Rodrigues). Ele encontra na fotografia uma alternativa para não entrar no mundo do crime. No Oscar foi indicado em quatro categorias: direção, roteiro, fotografia e montagem. Veja na Netflix, Amazon Prime e iTunes.

 

Tropa de Elite” (2007), de José Padilha

Tropa de Elite foi um filme muito repercutido em 2007 por ter como tema a violência urbana na cidade do Rio de Janeiro junto com a ajuda do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e da Polícia Militar. O longa é baseado elementos do livro Elite da Tropa. Ganhou continuidade em 2010, o que rendeu à produção a quarta maior bilheteria do Brasil.

Em 2008 levou o Urso de Ouro de Melhor Filme no Festival de Berlim. Além de nove premiações no Grande Prêmio Vivo do Cinema Brasileiro. Você pode assisti-lo no YouTube, na Netflix e no Telecineplay.

  • Save
30

 

Minha Mãe é Uma Peça” (2013), de André Pellenz

A produção de Paulo Gustavo fez tanto sucesso que gerou três frutos. O trio de filmes, dirigido por André Pellenz, César Rodrigues e Susana Garcia respectivamente, conta a história de Dona Hermínia (Paulo Gustavo) e dos desafios de ser mãe em diferentes fases da vida dos filhos, bem como lidar com as próprias questões. A personagem é inspirada na mãe do ator.

Verdadeiro fenômeno de público, o filme Minha Mãe é Uma Peça 3 é o segundo filme brasileiro de maior bilheteria de todos os tempos. O segundo, ocupa o sexto lugar da lista. Assista no Globoplay.

 

Bacurau” (2019), Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles

Representante do cinema atual, não podemos deixar de destacar o potente Bacurau. A história dos moradores da cidade que descobrem que o povoado não existe mais no mapa e percebem que coisas estranhas começam a acontecer: estrangeiros chegam na cidade, encontram corpos, carros são alvejados e até drones voam pelo céu.

Dessa forma, percebem que a região está sendo atacada e resolvem agir para se defenderem. O longa tem no currículo o Prêmio do Júri no Festival de Cannes de 2019, tornando-se o segundo filme brasileiro da história a ser laureado no certame geral.

Back To Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap