skip to Main Content
Precisamos Falar De | Samm Henshaw

Precisamos Falar De | Samm Henshaw

Quantos artistas brilhantes podem estar por ai e nunca tiveram a oportunidade de desenvolver seu trabalho em um ambiente propício? Quantas Beyoncés, Stevie Wonders e Madonnas nunca alcançarão o estrelato?  Tenho me perguntado isso com bastante frequência nos últimos meses. Talvez por isso, eu esteja em uma busca louca por artistas que, ainda, não fazem parte do mainstream.

Meu Spotify virou uma caçada para além dos algoritimos, transcendendo para buscas de produtores musicais no Instagram, vídeos caseiros no YouTube e gravadoras independentes. Preciso dizer que as descobertas tem sido animadoras ou até mais que isso. Viciantes, eu diria! Sendo assim, precisava de um espaço para dividir esses artistas que tem sido um abraço na alma e um acalento aos ouvidos. E é sobre isso que se trata essa coluna. Uma jornada musical pelo novo, através do meu olhar.

Para estrear esse espaço: Samm Henshaw, o inglês de 24 anos que está dominando as minhas playlists e me faz querer organizar os feats para seu primeiro álbum.

Transitando entre o soul, R&B, pop e uma forte influência do Gospel, Samm tem tudo para explodir nos próximos meses. Talvez você já tenha escutado a música Broke, seu maior sucesso comercial, em algum lugar. No entanto, embora já acumule quase seis milhões de visualizações em seu vídeoclipe, o artista demostra potencial para algo muito maior. Ele está pronto para dominar as paradas musicais com canções que imploram o posto de hit mundial.

O cantor, que também é produtor, compositor e multi-instrumentista, cresceu em um lar musical, ainda que não houvessem artistas em sua casa. Isso porque a música era a trilha sonora constante em sua residência. Além disso, o fato de seu pai ser reverendo o aproximou do Gospel, fazendo da Igreja o local de suas primeiras apresentações.

D’Angelo, Lauryn Hill e John Legend são algumas das referências de Henshaw – e imagino que seja da vontade dele fazer um dueto com um desses artistas. Porém, preciso confessar que, no momento, eu adoraria a participação de Stevie Wonder em uma nova versão da música Doubt, parceria com o rapper Wretch 32. Claro que essa é a parceria dos sonhos de boa parte dos músicos pelo mundo, mas consigo achar o espaço ideal para um solo de gaita de boca do Stevie.

Em 2015, Samm Henshaw lançou seu primeiro EP, The Sound Experiment. Com sete faixas, o material é bem coeso e chega a lembrar alguns trabalhos do Gary Clark Jr. Destaque para o single Only Wanna Be With You, que já mostra o poder para produzir músicas grandiosas. No ano seguinte foi a vez de colocar o The Sound Experiment II no mundo. O compilado soa como a continuação natural do trabalho já desenvolvido.

As canções recentes de Henshaw não deixam dúvidas do tipo de artista que ele é e o caminho que deverá percorrer na carreira. O aspecto visual impecável, que flerta com os anos 80, dá um certo peso as produções, que poderiam receber facilmente a participação de Chance The Rapper. E espero que isso aconteça em alguma faixa do próximo albúm, mesmo não tendo do que reclamar – as colaborações já feitas tem funcionado bem. Inclusive a de seu mais novo single, a divertida Church, trazendo a parceria com o duo EARTHGANG.

Bem, acho que já coloquei informações o suficiente para você conhecer um pouco do trabalho do Samm Henshaw, né? Pelo menos, é isso que eu espero. Estarei aqui toda semana e caso queira deixar sugestões de artistas, gravadoras e produtores que não sejam tão conhecidos, fique à vontade e se prepare para muitas novidades nos próximos dias!

jader theóphilo

Jornalista, canceriano, apaixonado por Música. adora ser o centro das atenções, mas finge que não. além disso, é devoto de Beyoncé.

Comente com a gente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top