fbpx
"Novo Mundo" é um experimento social mascarado como um divertido programa de variedades cheio de identidade e personalidade.

“Novo Mundo” é um experimento social mascarado como um divertido programa de variedades cheio de identidade e personalidade.


OO setor de entretenimento é grande em todo mundo, e cada país tem o seu forte. Enquanto no Brasil somos conhecidos pelas novelas e nos EUA a indústria é focada nos seriados, a Coreia do Sul é famosa não só pelos seus dramas como também os programas de variedades — produções com divertidas mini-competições nos mais diversos jogos e tarefas.

Com a Onda Coreana cada vez maior e o catálogo de doramas aumentando na Netflix, não é de se espantar que a gigante de streaming logo começaria a investir em títulos próprios. Assim, o primeiro deles chega ao serviço sob o nome Novo Mundo, em uma competição roteirizada com seis famosas celebridades sul-coreanas.

Os idols KAI (do grupo de k-pop EXO), Heechul (do SUPER JUNIOR) e Eun Ji-won (do SECHSKIES) unem-se à comediante Park Na-rae, a atriz Cho Bo-ah e o ator/apresentado Lee Seung-gi em uma viagem de seis dias a uma ilha-resort conhecida como Novo Mundo, onde eles devem vencer um compilado de tarefas para ganharem Nyangs (a moeda local) e escaparem em segurança do local de volta à civilização.

 

Um Mundo Paraíso

Há uma numerosa quantidade de detalhes que tornam Novo Mundo um produto de entretenimento interessante de qualidade, a começar pela seleção de celebridades participantes. O grupo não só traz para a telinha um entrosamento natural e uma caótica química fraternal, mas sozinhos eles também mostram um pouco de suas personalidades e se individualizam em personagens. Seung-gi é o “vilão” calculista, KAI é o inocente-não-tão-inocente-assim, Heechul é o azarado, Na-rae é a dondoca e meme ambulante, Bo-ah é a tímida que as vezes se dá bem, e Ji-won o capanga.

Neste jogo de oito episódios, a Netflix também mostra que dinheiro não é o seu problema. A ilha Novo Mundo parece ter sido toda construída para o programa — ou, no mínimo, readaptada para os participantes. Cada uma das celebridades ganha um quarto-casa para si, construído de acordo com suas especificações de “a casa de seus sonhos”. O local paradisíaco ainda traz cenários exuberantes inspirados por ornamentos gregos, jardins ornamentais cenográficos e o conforto do mundo moderno com um restaurante chef driven, um mercado e um banco.

No final, o Novo Mundo é uma espécie de personificação física de um jogo de mundo aberto. Há ali Personagens Não-Jogáveis, um host-narrador, uma moeda própria e até uma loja onde os jogadores podem comprar cartas especiais para serem usadas no decorrer do jogo — além, é claro, de uma história que amarra toda a narrativa ao longo da temporada.

 

Nem Tão Novo Assim

O que mais marca Novo Mundo é a sua narrativa fortemente baseada no mundo capitalista. Apesar da proposta de estarem em uma localização isolada do mundo real, as seis celebridades (principalmente Heechul) logo percebem que aquela ilha é uma miniatura da realidade cruel em que vivemos. Enquanto alguns dão sorte no jogo e acumulam Nyangs a rodo, outros simplesmente não conseguem mudar sua realidade ou alternar entre as “classes sociais”.

Não é difícil encontrar situações que mimetizam o nosso mundo, muito menos encontrar algumas críticas aqui e ali — mesmo diante de um programa leve de entretenimento. Se neste Novo Mundo os seis jogadores precisam vencer os jogos para ganharem Nyangs e poderem comprar cartas que vão ajudá-los a alcançar o objetivo final (sair da ilha em segurança), não é uma surpresa quando as mentiras, traições, roubos e ganância começam a acontecer. Mesmo que tudo seja feito de forma inocente e bem humorada, a frase “não acredite em ninguém” ou “eu venderia até a mãe” são o lema a ser seguido na ilha (KAI que o diga).

 

O Jogo da Vida

Nesse breve trajeto descontraído, ficam de destaque os episódios da Especulação Imobiliária/Banco Imobiliário (S01E05) e de Caça ao Meteorito (S01E03), dois dos mais divertidos capítulos de Novo Mundo.

O primeiro porque o mercado imobiliário é um segmento econômico muito importante da cultura coreana, onde eles tem o hábito de aspirar em comprar/investir em prédios — ser dono de uma construção significa riqueza e a garantia de uma vida estável. Ao unir isso a um jogo em tamanho real de Banco Imobiliário, as mentiras e ganâncias extrapolam até mesmo as alianças mais fortes. Assim, marcam o episódio a esperteza de Na-rae nas negociações e a inteligência astuta de Heechul, que todas acreditam ser o mais traído mas é o único que retém todas as informações sigilosas em suas mãos.

Por outro lado, o caça-ao-tesouro é um dos roteiros mais geniais já criados em um programa do gênero. Hilário do início ao fim, os seis jogadores precisam achar e proteger um pedaço de meteorito que caiu na ilha, sob a promessa de ganhar 800 milhões de Nyangs. Alianças são formadas, mas as traições são mais fortes do que qualquer amizade — afinal, está em jogo quase 1 bilhão de Nyangs. No final de tudo, a grande estrela é Na-rae, por virar um meme ambulante, e Seung-gi, por sua vilania calculista.

Vale citar também o último jogo do programa, que se inspira em Indiana Jones para uma tarefa em grupo de obstáculos e conhecimentos gerais, que serão a chave para levá-los de volta à civilização.

Novo Mundo chega ao fim como um divertido e refrescante pedaço de entretenimento, trazendo para um público global a possibilidade de se aprofundar um pouco na dinâmica dos programas de variedades sul-coreanos. E com o dedo da Netflix, a gigante imprime sua própria identidade neste mercado e traz algo um pouco mais arrojado para o gênero.

Compartilhe

Twitter
Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn
Pocket
relacionados

outras matérias da revista

Televisão
Juliana Almeida

O inquebrável mundo de Kimmy Schmidt e o fim de uma fascinating transition

“Unbreakable Kimmy Schmidt” mostra que é possível carregar um humor ridículo até o fim – e da forma mais inteligente possível. Primeira série de comédia a ser encomendada pela Netflix, Unbreakable Kimmy Schmidtchegou ao seu fim em 2019. Criada por Tina Fey e Robert Carlock, a sitcom carrega um humor absurdo tratado através da inocência da protagonista, uma personagem caricata que, após anos presa em um bunker, precisa se adaptar a realidade de ser uma adulta. Durante toda sua jornada, assistimos lembranças de nossa própria transição serem interpretadas teatralmente por Ellie Kemper. O bizarro humor de Fey é espertamente usado para

Leia a matéria »
Filmes
Bruna Curi

A magia presente em Quebra Nozes

“O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos” ganha uma nova vida nas mãos da Disney, que volta a contar a clássico história do Quebra-Nozes. A história do Quebra-Nozes é muito famosa ao redor do mundo, seja por conta do romance O Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos (1816), escrito por Ernest Theodor Amadeus Hoffmann, ou pelo cultuado ballet de Tchaikovsky, que estreou em 18 de dezembro de 1892 no Teatro Mariinsky, em St. Petersburg, Rússia. No cinema, o Quebra-Nozes já foi explorado em diversas adaptações ao longo dos anos: Nutcracker Fantasy (1979), O Príncipe Encantado (1990), O Quebra-Nozes (1993), Barbie em O Quebra-Nozes (2001) e

Leia a matéria »
Back To Top