fbpx

“Eu Nunca…” falhou, pela primeira vez

[tempo de leitura: 2 minutos]

“Eu Nunca…” volta com a 2ª temporada à Netflix em um novo ano decepcionante e frustrante para o bom potencial da série.


DDepois de mais de um ano, a comédia romântica Eu Nunca… está de volta à Netflix e não como a primeira temporada. O ano de estreia foi excitante, animador e algo fora da caixinha de todas as séries teen do gênero, trazendo assuntos importantes e inexplorados de forma profunda. A segunda temporada traz o contrário.

Aqui temos uma Devi (Maitreyi Ramakrishnan) egoísta a ponto de irritar quem está assistindo. Todos os assuntos são voltados para ela e o tempo todo ela literalmente fala: “Ei gente é sobre mim”. Suas amigas Fabíola (Lee Rodriguez) e Eleanor (Ramona Young) são deixadas de lado e a principal se torna mimada e chata em relação a sua família. Suas relações amorosas são complicadas e você não entende se ela quer ou não ficar com Ben (Jaren Lewison) ou com Paxton (Darren Barnet). Por fim, todas as relações exaltadas e aprofundadas na primeira parte são ignoradas, e Eu Nunca… cria muitos arcos para resolvê-los de forma rápida e rasa. Tudo muito confuso.

Ainda falando de relações, duas que chamam mais  atenção que a principal é a mãe de Devi, Nalini (Poorna Jagannathan), e seu potencial par romântico, e sua prima, Kámala (Richa Moorjani), e o professor de literatura. Porém, novamente, nenhuma delas é bem desenvolvida, mesmo representando o único ponto que deixa o telespectador querendo a próxima temporada.

Outro ponto que traz o oposto ao visto na primeira temporada são os assuntos importantes e necessários ao nosso dia-a-dia. A segunda temporada de Eu Nunca… tenta introduzir assuntos como relacionamento tóxico, comunidade Queer e anorexia, mas tudo sempre passa batido. Esse último vem com a chegada de uma nova garota indiana, Aneesa (Megan Suri), mas tudo sempre acaba sendo sobre Devi e a nova personagem perde todo o timing. O seriado parece não se importar em desenvolver nenhum dos pontos que introduz e passa tão despercebido (de forma negativa) que se você não estiver escrevendo uma crítica sobre (há!), você dificilmente vai perceber.

  • Save

Porém, como uma verdadeira amante de comédias românticas e séries teen, tenho que admitir que os dois últimos episódios supriram minha necessidade de um romance besta. Os episódios surpreendem quando vemos uma Devi mais vulnerável e não tentando lutar contra o mundo todo. Mas fora isso, ficamos no aguardo de que o futuro de Eu Nunca… traga uma temporada com mais conteúdo e uma personagem principal mais cativante, em um enredo sem tantos arcos esquisitos.

clarice pinheiro cunha

tem 20 anos, aluna de jornalismo que não toma café. libriana, mãe de um gato. nunca vai recusar uma batata frita, uma caneca de chá e uma boa conversa.

Back To Top
Right Menu Icon
Share via
Copy link
Powered by Social Snap