fbpx

“Sex and the City” aos 55

[tempo de leitura: 4 minutos]

“And Just Like That…” atualiza o universo de “Sex and the City” para mostrar que as famosas mulheres ainda tem histórias para contar.


Nota da Colab: este texto contém spoilers.

 

CCarrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker)está de volta para narrar mais histórias que tem como plano de fundo o amor e a cidade de Nova Iorque. Sem Samantha (Kim Cattrall), as amigas Carrie, Charlotte (Kristin Davis) e Miranda (Cynthia Nixon) estão mais velhas e com a vida amorosa menos caótica, em um spin-off nomeado And Just Like That…, famosa  frase da escritora vivida por Sarah Jessica Parker.

A primeira temporada do revival tem 10 episódios e nos deixa definitivamente querendo mais! A nostalgia de rever os cenários, os personagens e os diálogos que nos fizeram amar a série é grande demais para apenas dez episódios. Os roteiristas não perdem o jeito de escrever e nossas novaiorquinas continuam sendo nossas novaiorquinas, agora em temas e caminhos muito diferentes.

 

ATUALIZAÇÃO PARA UM MUNDO MAIS REAL

Sabemos que o forte de Sex and The City nunca foi diversidade. Então para atualizar toda a história para o ano de 2022, novos personagens são incluídos com o objetivo de preencher a lacuna.

A inclusão de personagens gordas, negras em altas posições, latinxs e indianas bem sucedidos e personagens não-binários mostra como eles procuraram correr atrás dos erros. And Just Like That… faz questão de mostrar essa mudança e como suas personagens reagem a isso, muito bem exemplificando no episódio em que Miranda não sabe como se referir a pessoas negras ou toda a confusão em torno dos pronomes.

Há também a atualização dos temas abordados pelas protagonistas, que, na casa dos 55 anos, se preocupam mais com assuntos relacionados ao envelhecer. Existem momentos em que Carrie se imagina mais nova ou que o cabelo grisalho de Miranda é questionado. E não seria Sex and The City sem a parte do sexo, mas a abordagem agora é do sexo na terceira idade, em questionamentos de como continuar ativa, como manter o calor da relação e até mesmo redescobrindo novas paixões ardentes.

E isso tudo está inserido em um período pós-pandemia. Os roteiristas querem retratar And Just Like That… em um período pós-Covid, na qual não se usam mais máscaras e nem há distanciamento. Isso ajuda a trazer um sentimento de esperança na qual podemos sonhar com esse momento.

Apesar de todos os pontos positivos ao narrar assuntos importantes para o dia a dia, o novo capítulo de Sex and The City peca em passar muito rápido por alguns deles. Depois das primeiras 10 temporadas, sabemos que Charlotte não é a pessoa mais mente aberta do mundo. Dito isso, em And Just Like That… sua filha Rose se vê como uma pessoa não-binária e adota o nome Rock. A personagem de Davis aceita toda essa mudança com muita facilidade e compreensão, deixando o fã com uma sensação de estranhamento.

 

CONFUSÕES NO ELENCO

And Just Like That… não saiu ilesa de confusões. Você deve ter percebido a ausência de Samantha Jones. Isso porque a atriz Kim Cattrall não quis mais seu nome relacionado a franquia e se recusou a participar da nova série por conflitos passados com Parker.

De acordo com Casey Bloys, diretor de conteúdo da HBO Max, “eles não estão tentando refazer Sex and The City“, o que justificaria a ausência de Cattrall. “Assim como na vida real, há pessoas que entram e saem das nossas vidas. Algumas voltam, outras não. Velhas amizades desaparecem e novas amizades surgem, é o ciclo da vida.”, completa.

Além do desfalque do quarteto, após o lançamento da série Chris Noth, que deu vida ao Mr. Big, foi acusado de estupro por duas mulheres, que alegam terem sido abusados pelo ator nos anos de 2004 a 2015. Noth nega as acusações.

O elenco ainda sofre perdas maiores, após a morte de Willie Garson, o Stanford, em decorrência de complicações de um câncer pancreático aos 57 anos de idade. No seriado, a produção faz questão de homenagear o ator em um episódio, onde Carrie encontra um bilhete que diz: “Não conseguiria falar com você sem chorar. E você já chorou demais”.

 

FUTURO FINAL FELIZ

O final de And Just Like That… completa o círculo de Carrie e suas amigas, além de reparar erros do passado que incomodavam muitos os fãs da série. Do mesmo jeito que me apaixonei por elas nos 30 a procura do amor, me apaixonei rapidamente por elas nos 50 a procura de mais respostas. Muitas coisas realmente mudou, mas outras permanecem as mesmas, como o apartamento de Carrie, suas roupas e sua obsessão por sapatos.

Para quem sente falta de Sex and The City, And Just Like That… é um conforto enorme.

Uma das cenas finais é puramente Carrie. Ela está de volta a Paris, com um vestido laranja e luvas rosas — fashionista como sempre. Ela então pega o celular e manda uma mensagem para Samantha, perguntando se poderiam tomar um coquetel. A velha amiga retorna com um “Que tal amanhã?“, e Carrie responde “FABULOSO“.

tem 20 anos, aluna de jornalismo que não toma café. libriana, mãe de um gato. nunca vai recusar uma batata frita, uma caneca de chá e uma boa conversa.

Back To Top
Right Menu Icon
Share via
Copy link
Powered by Social Snap