skip to Main Content
Little Witch Academia: O Retorno Das Garotas Mágicas Nos Animes

Little Witch Academia: o retorno das garotas mágicas nos animes

  • Série

A magia é uma possibilidade no anime produzido pelo Studio Trigger, onde bruxas existem no mundo contemporâneo e precisam provar seus valores para não serem esquecidas frente ao desenvolvimento tecnológico. Little Witch Academia surgiu como uma fagulha em 2013, criado como um curta de animação por Yoh Yoshinari e escrito por Masahiko Otsuka. O projeto foi originado para um programa de incentivo do governo japonês, o Anime Mirai, destinado a auxiliar novos cineastas e pequenos estúdios a produzirem suas animações. Após ser apoiado, o curta estreou nos cinemas nipônicos e deu início a sua trajetória.

O enredo conta a história de Akko Kagari, uma jovem fascinada pela magia e seus truques que está decidida a ser uma bruxa. Para isso, ela ingressa na Escola de Magia Luna Nova e se surpreender ao perceber que o universo mágico é totalmente diferente do que ela imaginava, com diversas aulas conservativas e entediantes. Contudo, a maior confrontação de Akko é a dificuldade que a mesma possui em executar até mesmo mágicas mais simples, além de precisar aceitar que a magia do mundo está chegando ao fim por ser inútil quando comparada à tecnologia e as ciências.

A popularidade e o recebimento do curta-metragem abriram caminho para a criação de uma sequência. Anunciado, também, em 2013 na convenção Anime Expo em Los Angeles, o novo episódio intitulado Little Witch Academia: Mahō Shikake no Parade  estava sendo desenvolvido. O projeto começou em 2014 com o capital suficiente para apenas 20 minutos de animação, mas o Studio Trigger lançou uma campanha em parceria com o Kickstarter – site de financiamento coletivo – para arrecadar fundo e possibilitar que o episódio tenha 50 minutos. A meta para a produção de um média-metragem foi alcançada em 5 horas de campanha, o que incentivou o estúdio a utilizar o dinheiro a mais que arrecadou para que também seja realizado um documentário de making-of. Outra vez, os fãs tornaram possível a concretização desse projeto e o anime estreou no Anime Expo de 2015.

O retorno do público sobre Little Witch Academia e a forma como cativou a audiência no Japão e em outros países tornou viável a elaboração de uma série com 25 episódios. O anime começou a ser exibido nas televisões nipônicos em 8 de janeiro de 2017, com exibição mundial pela Netflix.

 

Magia Além da Imaginação

A saga de Akko para ser uma grande bruxa ganhou novas dimensões ao lado de suas amigas na Escola de Magia Luna Nova com o surgimento da série. A história original lançada em 2013 teve tempo o suficiente entre cada episódio para ser desenvolvida com mais calma e detalhes. Agora, compreendemos melhor como a personagem principal – com toda a sua falta de talento – está determinada a seguir os passos de uma antiga bruxa que cativou a sua infância. A magia é um elemento de discussão importante, principalmente quando encaramos a realidade de que ela é apenas um atalho inexato para o que a ciência nos propõem hoje com suas formulas e equação.

Ser uma bruxa no universo do anime não são muito diferentes das outras profissões exibidas no decorrer da trama, como padeiros, fazendeiros e banqueiros. Como algo banal, o que vemos de fantástico é efeito da visão de Akko sobre o mundo e como ela quer fazer parte dele. Logo, Little Witch Academia trabalha com o imaginário dos fãs de animes e aventuras clássicas apresentadas, também, nos jogos de videogame. A grande popularização das obras nipônicos chegou ao ocidente com personagens presentes em um mundo fantástico, onde a imaginação era o limite proporcionado pelas empresas de animação.

Não é a primeira vez que nos deparamos com garotas que possuem dons mágicos. Há uma lista de animes que utilizam esse arquétipo em suas propostas de trama, como Sailor Moon, Guerreiras Mágicas de Rayearth e Card Captors Sakura. O exemplo mais contemporâneo que temos de personagens como essas foi o Puella Magi Madoka Magica, lançado em 2011. A ausência desse gênero nos lançamentos anuais de animes marcou a mudança do público e o hábito de consumo de animes, mas a memória saudosista do passado preparou o terreno para que Little Witch Academia reunisse o melhor que as garotas mágicas pudessem apresentar para, então, marcar o seu sucesso.


Roberto Barcelos

Tem 24 anos, canceriano com problemas na lua e apaixonado por Videogames e Cinema. Estuda Comunicação Social e possui especialização em História da Arte Contemporânea.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top