fbpx
Os Tribalistas retornam, em sua formação original, para um segundo álbum, resgatando a magia do trio com belas e íntimas composições.

Os Tribalistas retornam, em sua formação original, para um segundo álbum, resgatando a magia do trio com belas e íntimas composições.


NNo ano de 2002 o grupo Tribalistas, formado por Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown, marcou época com um álbum homônimo que alcançou o primeiro lugar no ranking dos discos mais vendidos no Brasil e em Portugal naquele ano. Além do sucesso comercial, o trio conquistou, também, o público nas rádios. A faixa Velha Infância foi a música mais tocada no Brasil na década de 2000.

Capa do álbum

Agora, 17 anos depois, o trio se reuniu novamente e lançou um novo trabalho que, assim como o primeiro, também é denominado Tribalistas. Com 10 músicas (3 a menos que o disco de 2002), Tribalistas manteve sua marca: sons experimentais extraídos de instrumentos inusitados, o contraste entre a voz cristalina de Marisa e o timbre cavernoso de Antunes, o beat-box de Brown e toda a aura lúdica característica do trio.

O diferencial deste álbum fica a cargo de duas músicas que refletem bem o momento atual. Se no primeiro Tribalistas, o disco pairava no universo criativo dos músicos, dessa vez ele esbarra na dura realidade com as canções Diáspora e Lutar e Vencer. A primeira trata da questão dos refugiados e imigrantes e tem citações pontuais dos poetas Castro Alves e Sousândrade declamadas com o peso da voz de Arnaldo. A segunda, com tom engajado, faz referência aos movimentos populares, como a ocupação das escolas secundárias que, inclusive, receberam o apoio de Marisa no ano passado.

Outra novidade é a participação da cantora portuguesa Carminho, repetindo a presença de um não integrante do trio no disco, como foi a presença de Margareth Menezes na faixa Passe em Casa, do primeiro disco. Já parceira de Marisa Monte em outros álbuns, a cantora lusa empresta à faixa Os Peixinhos com sua voz carregada de sotaque e emoção, dando intensidade à música, mas sem deixar que esta perca sua pureza infantil. Ainda, as composições em que Brown e Marisa não dominam todos instrumentos contam com o impecável apoio musical do baixista Dadi Carvalho, do guitarrista Pedro Baby e do versátil instrumentista Pretinho da Serra.

https://www.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_mQYREi4a798DDz_olb8i7W42z_OFyMSac

Se o sucesso dos Tribalistas deu-se graças a uma fórmula específica, não se pode afirmar. O que fica claro é que Tribalistas (2017) é uma continuação de Tribalistas (2002). E dessa sequência extrai-se a certeza de que quando o talentoso trio se junta, a garantia é um trabalho autêntico e lindo.


Compartilhe

Twitter
Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn
Pocket
relacionados

outras matérias da revista

Música
Barbara Lima

Roger Waters: “Us+Them” passa pelo Brasil

Em 2018 o Brasil receberá diversas atrações musicais como os shows dos cantores Ozzy Ozsbourne e Eddie Vedder (vocalista do Pearl Jam), além de bandas com grandes bases de fãs como Gorillaz e Radiohead. Em outubro, Roger Waters realizará a sua maior turnê no Brasil, visitando sete locais, dos quais estão às cidades de Belo Horizonte, Salvador e São Paulo. Os ingressos já estão a venda pelo site ticketsforfun.com.br, e variam entre R$300 (150 meia) à R$720 (360 meia). Roger Waters é um cantor perfeccionista e extremamente dedicado ao seu trabalho. Para ele a música é como uma viagem por dentro de nós, e claramente

Leia a matéria »
Back To Top