skip to Main Content
Ninguém Permanece O Mesmo

Ninguém permanece o mesmo

Com 11 anos de carreira e envolvida em algumas polêmicas — uma das mais famosas foi sua apresentação em 2013 no MTV Video Music Awards (VMA), em que ela fez o twerk ao dançar junto do cantor Robin Thicke durante a apresentação da música Blurred Lines —, Miley Cyrus está de volta com o seu sexto álbum de estúdio: Younger Now. Depois de um hiatus de dois anos, a ex estrela da Disney deixou um pouco de lado a música pop e voltou-se para o country.

Em seu novo trabalho a cantora regressou às origens e decidiu se inspirar nas raízes de sua família, que é formada por grandes ícones da música country americana. Ela é filha de Billy Ray Cyrus, que ficou muito conhecido após o lançamento de Some Gave All (1992), o seu primeiro álbum e o mais bem-sucedido de sua carreira; e sua madrinha é a famosa Dolly Parton, que é considerada um dos maiores nomes na história da música mundial, sendo reconhecida como “Rainha da Música Country”.

 

O Álbum

A música Younger Now, que dá o nome ao álbum, fala sobre a mudança. A inspiração para compor essa música veio através de sua mãe que, no Natal do ano passado, achou que ela parecia mais nova do que há alguns anos. E em uma entrevista para a MTV, Miley explicou que essa música veio para fazer as pazes com o seu passado e abraçar todas as suas fases sem ter vergonha de quem já foi: “Agora posso me orgulhar de todas as Mileys que já fui, em vez de tentar fugir de quem eu era aos 11 anos. Entendi que isso faz parte da minha vida. Não tenho medo de quem eu era. Ninguém permanece o mesmo”.

Com uma letra bastante romântica, Malibu é inspirada em seu relacionamento com o ator australiano Liam Hemsworth. Eles se conheceram nos bastidores do filme A Última Música (2010) e depois de alguns términos ao longo dos anos, os dois voltaram oficialmente em 2016 e estão juntos deste então. O cenário californiano, em que a música se passa, é o local onde ela vive atualmente com o ator.

Rainbowland marca a sua parceria com Dolly Parton. A música começa com uma mensagem de Dolly e é mais voltada para o clássico country. A canção também fala sobre a aceitação da diversidade — não é nenhuma novidade a cantora ser a favor das diversidades. Ela criou a fundação Happy Hippie para abrigar e ajudar jovens sem-teto e homossexuais expulsos de casa — e o pedido de um mundo melhor.

As músicas Week Without You, Miss You So Much, I Would Die For You e Love Someone tem o amor como tema, tratando sobre términos, a dor, a saudade e as incertezas de estar em um relacionamento. Algumas são verdadeiras declarações de amor.

Com uma energia mais vibrante, uma batida e um refrão mais voltado para o pop, Thinkin’ quebra essa sequência introspectiva. Já Bad Mood, é uma mistura de country com o rock, podendo ser considerada como uma das melhores faixas do álbum. She’s Not Him chama a atenção por ser uma música pop que fala sobre a bissexualidade. Essa canção aborda a sexualidade de Miley, que revelou se considerar uma pessoa trans não binária. “Eu não ligo pra isso de menino ou menina e eu não quero ter um companheiro que ligue para isso. Eu estou literalmente aberta a qualquer coisa que seja consentida e não envolva animais e nem menores de idade. Tudo que é legal, eu estou dentro”, explicou em uma entrevista para a Paper Magazine.

A última faixa do álbum, Inspired, foi uma música que Cyrus escreveu inspirada em seu próprio pai e em Hillary Clinton, que foi candidata na última eleição presidencial americana e para quem a artista fez campanha. Trata-se de uma música muito reflexiva e, como o próprio nome diz, inspiradora.

 

A Crítica

Em 2012 ao cantar o cover de Jolene (música de Dolly Parton), Miley Cyrus já demonstrava parte de seu grande talento. Acompanhada somente por guitarras acústicas ela mostra que tem uma voz perfeita para o estilo country, mas, somente em seu sexto álbum de estúdio foi que a cantora resolveu apostar nesse estilo, encontrando um som em que se sente confortável.

O álbum Younger Now está marcando uma nova fase na vida da cantora, sendo o início de uma mais “tranquila” (influenciada por Elvis Presley, Johnny Cash e outros nomes importantes da música country americana) em que Miley optou por uma sonoridade leve e doces letras. Está sendo uma forma da artista se reconectar com os seus fãs, mesmo que alguns deles não estejam tão acostumados com esse novo estilo.

A repercussão do disco na mídia também está sendo favorável, veículos como o Entertainment Weekly, Rolling Stone e NME escreveram críticas positivas a respeito do novo trabalho da cantora. Além disso, o disco completou quatro dias no primeiro lugar do ranking de vendas mundial do iTunes e durante o seu lançamento (29/9) chegou a liderar as paradas em 50 países. Atualmente (até o fechamento dessa matéria, no dia 17/out.), álbum está no Top 10 de mercados de países como o Brasil, Estados Unidos e do Reino Unido.

E apesar do nome Younger Now (“mais jovem agora”, em tradução livre), o disco é um dos trabalhos mais maduros de toda sua carreira. Existe mais profundidade nesse trabalho, mostrando que Miley amadureceu ao se rejuvenescer. Agora resta saber qual será a próxima mudança, afinal de contas, a artista ja mostrou que diversas vezes que “ninguém permanece o mesmo”.


Fotos da sessão realizada para a revista norte-americana Billboard.


bruna curi

tem 20 anos, é estudante de Jornalismo, mineira, capricorniana e blogueira nas horas vagas. apaixonada por Livros, Filmes e Séries. gosta de escrever, é uma de suas maiores paixões.

Comente com a gente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top