skip to Main Content
IZA: Negra, Feminista, Cantora E A Aposta De 2018

IZA: negra, feminista, cantora e a aposta de 2018

“Eu sei que o meu corpo te incomoda, sinto muito o azar é seu, abre o olho eu tô na moda e quem manda em mim sou eu”, anuncia a cantora IZA, em Quem Sabe Sou Eu, sua primeira música assinada pela gravadora Warner Music Brasil. Desde sua estreia nesse selo, em 2016, até o momento, seis gravações foram lançadas incluindo o Lead Single Pesadão, presente em seu primeiro álbum, previsto para 2018. No entanto, os fatores que tornam IZA uma das grandes apostas para o cenário pop brasileiro começaram bem antes disso.

Publicitária de formação, nascida no bairro Olaria, Zona Norte do Rio de Janeiro, Isabela Lima, de 26 de anos, começou a cantar ainda criança fazendo performances para familiares e vizinhos. Em um lar extremamente musical, tendo o pai como percussionista em uma escola de Samba e a mãe sendo professora de música, não é de se estranhar o talento nato da carioca.

Durante à adolescência, assim como diversos artistas, IZA começou a cantar na Igreja e a fazer pequenos shows em retiros e paroquias, no entanto, viver de música, ainda, não era uma ambição. Sendo assim, a cantora se formou em Publicidade e Propaganda, pela PUC-RJ, trabalhou com produção de vídeos, marketing e mídias sociais. Até que um dia, não satisfeita com o trabalho que estava desenvolvendo, em um coworking, decidiu se perguntar: “O que eu faria até de graça?”, foi assim que IZA largou tudo e decidiu investir na música.

Motivada pelo medo de não arriscar, e ter que conviver com a dúvida se a carreira como cantora daria certo, a artista criou um canal no YouTube onde fez covers, semanais, de várias músicas conhecidas do grande público. Mas foi ao enviar um desses materiais para a Warner Music Brasil, que a carioca conseguiu um contrato para o lançar o primeiro álbum.

Com grande expectativa por parte da imprensa, a gravadora decidiu matar a curiosidade de todos e lançar em novembro de 2016, a música Quem Sabe Sou Eu, que se tornou trilha sonora da novela global Rock Story e mostrou a veia pop da cantora. No ano seguinte, IZA reafirmou seu talento com o lançamento de novos singles. A canção Te pegar, foi responsável pelo seu primeiro videoclipe que conta com participação do ator José Loureto e produção executiva de Isabelle Tanugi e Valeria Amorim, envolvidas no vídeo da faixa “Corazón”, de Claudia Leitte.

Logo depois Vim pra ficar, apresenta uma letra empoderada aliada a uma batida um pouco mais lenta do que a anterior, mas que, ainda assim, repete a formula pop chiclete já apresentada. Dando sequência aos trabalhos a música Esse brilho é meu, ganhou videoclipe, dirigido por Felipe Sassi, em parceria com a marca Loreal- Casting Creme Gloss, e trouxe participações especiais da atriz Tais Araújo, da youtuber Flavia Pavanelli e da modelo Ju Nalu.

O ultimo trabalho lançado, antes do material que estará presente em seu álbum de estreia, trata-se de cover da música da cantora, pianista, compositora e ativista Nina Simone, I Put a Spell on You”. O vídeo serve para mostrar um pouco da influencia dos ritmos R&B, Jazz e Blues que fazem parte do repertório de IZA.

Embora as músicas anteriores tenham servido para mostrar a nova artista brasileira, foi com o lançamento do single “Pesadão”, parceria com o cantor Marcelo Falcão, líder do grupo O Rappa, que IZA conseguiu atrair o olhar do público de vez. A canção, produzido por Ruxell e Sérgio Santos, apresenta uma batida pop com fortes influencias do ragga, ritmo jamaicano que mistura o reggae e música eletrônica com as batidas instrumentais produzidas de forma digital, e traz na letra uma história de superação. Para dar ainda mais peso à música, a cantora leva parte do seu discurso ao videoclipe.

Dirigido por Felipe Sassi, o vídeo conta com um elenco exclusivamente negro, reforçando o posicionamento ativista da cantora. Além disso, o figurino, assinado por Bianca Jahara, é extremamente colorido e de acordo com IZA, “serviu para destacar esses corpos negros que são tão apontados por sua cor”. E quando o assunto é negritude a cantora entende a importância do seu papel e da sua representatividade na mídia. Por isso, falando sobre aceitação capilar, feminismo, negritude e outros assuntos do cotidiano a cantora deve lançar seu álbum em 2018 com mais duas participações especiais, ainda não reveladas.

Para acompanhar os próximos passos da cantora vale a pena ficar de olho em plataformas de streaming (Spotify; Deezer; Apple Music) onde estão disponíveis todas as músicas lançadas até o momento e citadas nessa matéria.


Jader Theophilo

Tem 22 anos, é canceriano e apaixonado por Música. Adora ser o centro das atenções, mas finge que não. Além disso, é devoto de Beyoncé.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top