skip to Main Content
Saraus, Arte, Resistência E Esperança

Saraus, Arte, Resistência e Esperança

Proferindo sobre versos, o autor João Cabral de Melo Neto, os definiu, como um extremo mergulho em si. Já Pedro Bomba ilustra-os metaforicamente, como alicate torando a cerca, arame que fura farpado. Seja pela definição de Melo Neto, da palavra que toca o mais íntimo, ou por Bomba, da letra que fere; a poesia sempre será a mais eficaz ferramenta de libertação do homem.

A arte, sobretudo, se expressa por formas. Entretanto, os espaços que essas formas percorrem, infelizmente são delimitados, demarcadas como centrais, à disposição de uma elite pseudo intelectual, majoritariamente branca e de poder aquisitivo, que reafirma a todo instante valores que objetivam manter a arte ao domínio elitista.

Nesse âmbito, os saraus possuem uma importante função: a de proporcionar lugares de fala à grupos historicamente marginalizados, de dar a possibilidade de ouvir vozes que simplesmente não estão presentes nosso cotidiano. Gritos de denúncias que são abafados diariamente por nossos privilégios e que são legitimadas por todas formas de exclusão, como as já citadas. É essa diversidade, proporcionada pelos saraus, que prova que essa concepção de arte que segrega é rasa e pouco representativa, nociva às outras formas de expressão que fujam dessa (de)limitação.

Em São Paulo, o Sarau do Binho está em atividade desde 1990 e continua se expandido por escolas e espaços culturais

Em São Paulo, o Sarau do Binho está em atividade desde 1990 e continua se expandido por escolas e espaços culturais

Essas vozes e versos ocupam um espaço que de direito são delas, embora socialmente sejam descriminados. O ato de ocupar uma praça e intervir sobre esse espaço é de fato um posicionamento político e de afirmação do entendimento do papel de cidadão de exerce seu direito à cidade. Assim, ressignificando lugares que por essência possuem essa função, mas que na realidade são pensados por uma lógica que atende a poucos.

Os saraus adotam um caráter de resistência, como no fato citado, de fomento a ocupar espaços públicos, mas também pelos versos proferidos, pela dança que movimenta o corpo estigmatizado, da beleza que na sociedade não tem vez por não se enquadrar nos padrões ditados. Além da simples organização de um evento que gire entorno de poesia, impulsionado pelo fato desse perpassar os muros da Contorno, provando à elite que na periferia há formas, há expressão, e sobretudo, subversão.

No início do mês de junho, BH contou com o "Circuito Metropolitano de Saraus"

No início do mês de junho, BH contou com o “Circuito Metropolitano de Saraus”

Ao longo do tempo, devido aos fatores expressos, entre outros, foram surgindo diversos saraus pela cidade, tendo algumas maiores especificidades. Todos, no entanto, afim de reformular uma realidade plural e atingir um maior número de pessoas interessadas em poética e que apoiem alternativas que invertam o imposto.

Outro importante ambiente de partilha de literatura e poesia é o Sarau Comum, que tem como sede o Espaço Comum Luiz Estrela. O casarão, foi ocupado por artistas, justamente motivados pela intenção de retomar o local que não cumpria sua função social, para manter sua preservação. Desde então, o encontro acontece nas sexta-feira de quinze em quinze dias, reunindo um público diverso e recebendo os principais poetas da cidade, além de visitantes de todo o país.

Analisando a necessidade de criação de espaço com certas especificidades, visando maior representatividade para que certos assuntos sejam pautados. O Sarau das Cachorras, que se iniciou em virtude do Dia das Mulheres, tem grande importância para expressão de opressões, assédios, afetos e ressignificações que envolvem a vivência do gênero. Desde então, acontece em espaços diversos da capital mineira, como escolas, presídios e praças.

Em meio a uma cidade envolta por ações administrativas de retirada de direito sociais, de forte repressão e de marginalização da população negra e periférica, a existência de uma rede social que se organiza coletivamente em prol da arte e da poesia é fundamental. Esta, fomenta a transformação e o desenvolvimento da criatividade artística e da sociedade como todo, gerando sobre nós um sentimento esperançoso em relação a um futuro mais justo e igualitário.

Sarau "Mulheres da Cultura Popular" aconteceu em março, parte do Sarau do Lagoa do Nado

Sarau “Mulheres da Cultura Popular” aconteceu em março, parte do Sarau do Lagoa do Nado


Jhonathan

21 anos, geminiano. Ama os poemas infantis de Cecília Meireles, viciado em Filmes e Séries, deseja ter a escrita e os movimentos culturais como instrumento de trabalho.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top