skip to Main Content
O Cemitério Dos Livros Esquecidos

O Cemitério dos Livros Esquecidos

A série literária “Cemitério dos Livros Esquecidos” ganhou seu quarto e último capítulo em 2017, com a história do pequeno Daniel, protagonista da saga.


Em uma madrugada fria de 1945, o pequeno garoto Daniel Sempere anda com seu pai nas ruas enevoadas da Barcelona sem saber ao certo o seu destino. Como presente de aniversário de 11 anos, Daniel foi levado a um lugarzinho esquecido por Deus e por quase todos os homens, chamado de Cemitério dos Livros. Assim começa o primeiro de quatro livros da saga escrita pelo autor espanhol Carlos Ruiz Zafón, cuja última obra chega às prateleiras do Brasil no mês de agosto.

Capa do livro "A Sombra do Vento", primeiro volume da série literária "Cemitério dos Livros"

Capa do livro “A Sombra do Vento”, primeiro volume da série literária “Cemitério dos Livros”

Com direito a escolher apenas um livro de todos os milhares que espalhavam na biblioteca imensa, Sempere aprendeu que não é o leitor que escolhe o livro, e sim o livro que escolhe o leitor, e se viu preso a um livro antigo, com a capa cor de vinho e letras douradas que traziam o título que marcaria não apenas o personagem, como também mais de 6,5 milhões de leitores no mundo todo: A Sombra do Vento.

Na narrativa, o livro é escrito por um escritor chamado Julián Carax, desconhecido por quase todos no mundo da literatura, mas que prende a atenção do jovem Daniel a cada palavra que mistura fantasia com suspense e mistério. Obcecado pela leitura, Daniel começa a dedicar todas as suas horas para encontrar o autor do livro que tanto mudou sua vida, mas pouco imagina que Julián Carax pode não ser apenas um velho escritor, mas um vilão ardiloso de vida perigosa.

A história toda, dentro e fora do livro, é de autoria de Zafón, e se você já assistiu o filme A Origem (2010), de Christopher Nolan, se prepare para entrar em uma verdadeira inception, onde a realidade toma novas formas e a ficção e o real se misturam magistralmente, levando o leitor a desconfiar que está na pele do próprio Daniel Sempere.

É impossível não se perder nas palavras de Zafón, que brinca tão bem com técnicas imagéticas. O leitor conhece as ruas de Barcelona, o Bairro Gótico, as Ramblas e o Tibidado, chora por amores perdidos na ficção de Daniel e do livro que ele lê, e sente um frio na espinha tão forte que é impossível ler o livro durante a noite, por maior que seja a coragem. Se Daniel Sempere se perdeu na realidade, quem garante que a gente também não se perderá?

Após o sucesso do primeiro livro, lançado em 2001, Carlos Ruiz Zafón lançou mais duas obras que se passam no mesmo universo. O Jogo do Anjo foi lançado em 2008 e sua sequência, O Prisioneiro de Céu, em 2011. Ambos seguem o clima de mistério e suspense sombrio de A Sombra do Vento, que fica mais intenso a cada página virada.

Com o título O Labirinto dos Espíritos, o quarto e último livro da saga chega pela editora Suma das Letras e ainda está em etapa de tradução, chegando às livrarias já no segundo semestre de 2017. A narrativa amarrará as pontas que Zafón cuidadosamente deixou soltas e promete trazer ainda mais suspense e terror. Se você já conhece as obras do autor catalão, indico uma maratona para refrescar a memória, e se você nunca tinha ouvido falar dessa obra, aconselho acender as luzes, separar o passaporte e as passagens para a Espanha e nunca olhar para trás.


bruna nogueira

tem 22 anos, é jornalista, feminista, e viver para ler e contar histórias. com um senso de humor negro, faz piada de tudo e não passa um dia sem escrever.

Comente com a gente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top