fbpx

A trajetória de Kyoshi

[tempo de leitura: 4 minutos]

“A Sombra de Kyoshi” encerra a trajetória da Avatar homônima em uma história coesa e forte que expande o universo criado em “A Lenda de Aang”.


DDepois de um ano do lançamento de A Ascensão de Kyoshi, o primeiro volume da duologia que tem o objetivo de contar a história da Avatar, chega às bancas internacionais a continuação do livro. A Sombra de Kyoshi, escrito pelo F.C.Yee em colaboração com o Michael Dante DiMartino, marca o fim da trajetória de Kyoshi.

 

Reencontros do Passado

  • Save
Capa do livro

A Sombra de Kyoshi se passa um tempo após os acontecimentos do primeiro livro, em que Kyoshi descobre ser o Avatar e aprende as dominações de fogo, ar e água. Sendo assim, nessa continuação vamos acompanhar a personagem realizando o seu trabalho como Avatar no Reino da Terra, tentando estabelecer certa ordem no território. Algo que chama atenção é que ela não está acompanhada de sua Equipe Avatar, de forma que ela realiza boa parte de suas obrigações sozinha contando apenas com o auxílio de Jinpa, um nômade do ar que é responsável por tentar organizar a agenda de Kyoshi e conferir se está tudo bem com ela.

É diante desse cenário que Kyoshi e Jinpa recebem um convite para participar do Festival Szeto, dedicado ao Avatar Szeto que foi muito importante para o desenvolvimento e prosperidade da Nação do Fogo – e, de bônus, conhecer o Senhor do Fogo Zoryu. Por mais que Kyoshi não seja uma Avatar muito chegada à política, tendo recusado diversos convites para se encontrar com nobres do Reino da Terra, tanto ela quanto Jinpa concordam que esse convite é muito importante para recusar. Já passou da hora de Kyoshi conhecer e realizar missões em outras nações, sem contar que essa é a oportunidade perfeita para ela se reencontrar com Rangi, sua namorada.

Porém, as coisas durante o Festival Szeto não saem da melhor forma. Para começar, Kyohsi comete o terrível engano de confundir Zoryu com seu meio-irmão bastardo, criando um clima tenso durante o Festival. Além disso, Yun, o melhor amigo de Kyoshi e que estava desaparecido desde A Ascensão da Kyoshi, invade o festival buscando vingança de pessoas de seu passado. Possuído pelo espírito Father Glowworm, Yun está decidido a matar algumas pessoas de seu passado, de forma que ele vai agir de maneira fria e extremamente calculista, um lado que Kyoshi não conhecia até então.

 

Ascensão e Sombra

Se em A Ascensão de Kyoshi os leitores acompanham a trajetória de Kyoshi se descobrindo o Avatar e aprendendo a dominação dos elementos, nesta continuação vamos ver a personagem se aprofundando mais no mundo espiritual – já que é obrigação do Avatar manter o equilíbrio entre o mundo físico e o dos espíritos. Sendo assim, A Sombra de Kyoshi retrata o crescimento e o amadurecimento da personagem, com ela aprendendo novas habilidades e entrando em contato com suas vidas passadas: o Avatar Kuruk e a Avatar Yangchen. Essa ligação é fundamental para que Kyoshi entenda melhor o que está acontecendo com Yun e o que ela deve fazer para impedi-lo, além de servir para um melhor entendimento a respeito de cada um dos Avatares. Kyoshi passa a compreender as falhas e os feitos de Kuruk, e percebe que Yangchen não foi perfeita e que cometeu alguns erros que repercutiram na época do Avatar Kuruk.

Apesar deste livro não abordar a batalha entre Kyoshi e Chin, o Conquistador, mostrava brevemente durante a primeira temporada de Avatar: A Lenda de Aang, a obra mostra a transformação da Avatar nessa mulher forte e que luta pela justiça, podendo ser impiedosa em alguns casos. As ações que a personagem toma nessa história são coerentes com a imagem que temos dela no seriado Avatar: A Lenda de Aang.

E, assim como no livro anterior, A Sombra de Kyoshi está repleto de referências da série Avatar. Um exemplo é quando falam a respeito do Agni Kai, um duelo bastante popular entre os dominadores de fogo, que pode ser causado por um comentário qualquer visto que os habitantes da nação do fogo são extremamente orgulhosos e se importam bastante com a honra. Isso é abordado na série de desenho animado, uma vez que o príncipe Zuko ganha uma cicatriz após duelar contra seu próprio pai num Agni Kai.

Outro exemplo é a respeito dos costumes rígidos da Tribo da Água do Norte, em que as mulheres dobradoras de água não podem lutar, dedicando-se apenas às habilidades curativas. Isso também é abordado em Avatar: A Lenda de Aang, quando Katara desafia o Mestre Pakku uma vez que ela quer aprender a duelar. Além desses dois casos, constantemente é mencionado no livro a existência de um grupo secreto de Pai Sho, que pode ser uma clara referência a Ordem do Lótus Brancos, uma antiga sociedade secreta que ultrapassa a barreira das quatro nações, tendo origem há séculos e formados pelos sábios acadêmicos das quatro nações, que se desafiavam em partidas de Pai Sho.

  • Save

É possível concluir que A Sombra de Kyoshi consegue eleva o nível da narrativa e apresenta uma história coesa e muito bem desenvolvida. E por mais que esse seja o fim da trajetória de Kyoshi e de suas aventuras, uma coisa é certa: a personagem vai permanecer para sempre nos corações dos fãs de Avatar: A Lenda de Aang.

Bruna Curi

bruna curi

tem 20 anos, é estudante de Jornalismo, mineira, capricorniana e blogueira nas horas vagas. apaixonada por Livros, Filmes e Séries. gosta de escrever, é uma de suas maiores paixões.

Back To Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap