skip to Main Content
League Of Legends é Esporte Sim!

League of Legends é esporte sim!

  • Jogos

No dia 20 de março deste ano, o programa Bem, Amigos!, do canal Sportv, recebeu convidados ilustres. Não eram jogadores de futebol, basquete ou vôlei. Não eram pilotos de automobilismo. Tampouco nadadores ou lutadores de artes marciais. Os telespectadores do tradicional programa da Globosat conheceram um pouquinho do mundo que envolve um outro tipo de esporte. Um esporte mais peculiar. Trajando as camisetas de seus respectivos clubes, Felipe “brTT” Gonçalves, da Red Canids, e Micael “MicaO” Rodrigues, da INTZ, ensinaram a Galvão Bueno e Arnaldo Cezar Coelho as mecânicas do jogo League of Legends.

O Lolzinho, como é carinhosamente conhecido pela legião de fãs, cyber atletas e jogadores casuais espalhados pelo mundo, se tornou um fenômeno de audiência. E a prova disso está aí. As transmissões de campeonatos profissionais, que antes eram exclusividade de plataformas de streaming como a Twitch, a Azubu e o Youtube, já conquistaram o seu espaço nos grandes canais de televisão.

Em 2016, o Sportv transmitiu a final do Campeonato Brasileiro de League of Legends, o CBLoL, para todo o país. E pasmem: de acordo com a Riot Games, desenvolvedora do game, cerca de 2,1 milhões de pessoas assistiram à decisão. Dessa quantia, 1,4 milhão acompanharam pela televisão. Sem falar das 10 mil pessoas que lotaram o Ginásio do Ibirapuera e vivenciaram de perto uma grande final de esporte eletrônico.

O sucesso foi tanto que o Sportv não parou com as transmissões. O canal tratou logo de adquirir os direitos de transmissão da edição de 2017, que é dividida em duas etapas (splits): o 1º Split, já disputado entre janeiro e abril deste ano, e o 2º Split, em andamento. O palco da final foi definido há poucos dias: os dois melhores times do campeonato se enfrentam no Mineirinho, no dia 2 de setembro. Os ingressos começam a ser vendidos a partir do dia 17 de julho, com preços variando entre R$ 20,00 e R$ 80,00.

A equipe da Red Canids se sagrou campeã do 1º Split deste ano

Para se ter outra ideia da grandeza de League of Legends no Brasil, a semifinal do 1º Split entre Keyd Stars e Red Canids gerou mais repercussão nas redes sociais do que o clássico de futebol disputado entre São Paulo e Corinthians, um dos maiores do país, no dia 26 de março. A hashtag #GoRed chegou a ficar em segundo nos trend topics, enquanto #VAICORINTHIANS não passou da oitava posição. A marca ainda é mais expressiva quando consideramos que o Corinthians é o time com a segunda maior torcida do Brasil.

O Campeonato Mundial de League of Legends de 2016 (algo equivalente a Copa do Mundo de futebol, claro, guardadas as devidas proporções), foi um fenômeno gigantesco de audiência. Segundo a Riot Games, 334 milhões de pessoas – aproximadamente – assistiram aos confrontos do torneio, que foi decidido entre os coreanos da Samsung Galaxy e da SK Telecom T1. Os números levam em conta, juntos, aqueles que acompanharam pela internet e pela televisão.

E os dados aumentam cada vez mais. Recentemente disputado no Rio de Janeiro, entre abril e maio deste ano, o Mid Season Invitational – uma espécie de Copa das Confederações de E-sports – atraiu 364 milhões de espectadores durante os 15 dias de competição! Os organizadores do torneio gastaram mais de 1 milhão de dólares em premiações. No mundial, esse valor ultrapassa incríveis 5 milhões de moedas estado unidenses.

Na mundial de 2014, 27 milhões de pessoas assistiram ao Campeonato, enquanto 11.2 milhões de pessoas assistiram via streaming

O esporte eletrônico começa a se profissionalizar cada vez mais em meio a tanta visibilidade. Os cyber atletas se submetem a rotinas desgastantes nas chamadas gaming houses (casas de treinamento), recebem salários de gente grande (entre R$ 3 e R$ 20 mil reais aqui no Brasil), possuem acompanhamento psicológico profissional, patrocinadores e, claro, fãs espalhados por todo o lugar. Eles disputam campeonatos de alto nível, que demandam intenso esforço mental – e de certa forma físico, também – e precisam se preparar corretamente para tal. E-sport é também alta performance.

Os dados estão aí. A tendência, portanto, é que a audiência cresça cada vez mais. A televisão – um meio de comunicação mais tradicional e mais utilizado que a Internet – está abrindo portas para que outras pessoas conheçam o e-sport. E deixem de lado todo aquele preconceito que envolve competições cibernéticas.

League of Legends é esporte sim! O público e a mídia já comprovaram essa resposta. Basta ligar a sua TV. E se impressionar!


julio puiati

Gamer, aspirante a Jornalista e apaixonado pelo esporte eletrônico. é também amante da Música e do Futebol, sobretudo o inglês. sempre escreve acompanhado de uma boa cerveja.

Comente com a gente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top