skip to Main Content
Um Voo Feminino

Um voo feminino

  • Filme

Com aprovação de 99% no Rotten Tomatoes (conquistando o título de produção mais bem avaliada pela imprensa norte-americana desde Toy Story 3, em 2010) e cinco indicações ao Oscar (Academy Awards), o longa Lady Bird – A Hora de Voar (2017) chegou aos cinemas brasileiros no último dia 15. O longa tem roteiro e direção de Greta Gerwig, conhecida pelo seu envolvimento com o movimento Mumblecore, manifestação artística do cinema independente nova-iorquino.

Lady Bird narra a história de Christine McPherson (Saoirse Ronan), uma adolescente que vive na pequena cidade de Sacramento, Califórnia. Teimosa, a garota insiste em ser chamada de Lady Bird e sonha em estudar em uma cidade maior, “onde a cultura está” ou “onde os escritores vivem em bosques”, longe de sua mãe (interpretada por Laurie Metcalf). A relação mãe e filha é um ponto central na trama. Os diálogos entre as duas, repletos de discussões e ironias,  garantem muitas das melhores cenas do filme.

Nas palavras da diretora, que já participou de filmes como Para Roma com Amor (2012) e Frances Ha (2009), no qual também participou da criação do roteiro, a produção é “um filme sobre querer deixar um lugar, e secretamente uma carta de amor para esse lugar. E é um filme sobre uma filha, que secretamente é sobre a mãe”. Sobre as atuações de Saoirse e Laurie, Greta afirma: “São atrizes muito diferentes, mas se equiparam. Ambas são poderosas, compreensivas e têm essa interpretação muito clara. Vê-las contracenar foi pura alegria durante todos os dias”. O elenco é sem dúvida um grande acerto.

Pode-se dizer também que um considerável ponto forte do longa é a construção da personagem principal. Christine é uma mulher complexa, com opiniões fortes e dona de sua sexualidade (amém filmes escritos e dirigidos por mulheres). É notável também o fato de sua mãe acabar por ser a responsável pelo sustento da família, já que seu pai fica desempregado.

O longa venceu como Melhor Filme Cômico e Melhor Atriz em Comédia (para Saoirse Ronan) no Globo de Ouro, e está indicado ao Oscar nas categorias Melhor Filme, Melhor Atriz (Saoirse Ronan), Melhor Atriz Coadjuvante (Laura Metcalf), Melhor Direção e Melhor Roteiro Original. Ainda que seja a única mulher concorrendo ao Oscar de Melhor Direção em 2018, a indicação de Greta Gerwig é bastante representativa: a cineasta é, somente, a quinta mulher a ser indicada na categoria ao longo dos 90 anos da premiação, além do longa ser, pasmem, apenas o 13º longa dirigido por uma mulher a concorrer na categoria de Melhor Filme.

A relação conturbada entre Marion e Christine, mãe e filha, é um dos arcos de “Lady Bird”

Lady Bird também carrega referências biográficas da diretora, que nasceu em Sacramento e frequentou uma escola católica. Ainda que não seja a mais cotada para ganhar a estatueta máxima do Academy Awards, a produção é inegavelmente aclamada pela crítica, e conquistou muitos corações pela abordagem sensível e honesta. No final das contas, Lady Bird – A Hora de Voar é sobre afeto.


Carolina Cassese

Estudante de Jornalismo, feminista, louca dos gatos, geminiana de sol e alma. Apaixonada por mudanças e pelas palavras.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top