skip to Main Content
O Bairro Do Limoeiro Ficou Pequeno

O Bairro do Limoeiro ficou pequeno

  • Filmes

Se você é jovem, é praticamente certo afirmar que a Turma da Mônica fez parte da sua infância de alguma forma. E mesmo que você já tenha alguns anos de idade a mais que o necessário para que tenha conhecido a turminha quando era criança, os personagens com certeza não lhe são estranhos. Criados por Maurício de Sousa, os primeiros personagens que viriam a fazer parte da famosa turma do Bairro do Limoeiro (mais especificamente Bidu e Franjinha) foram criados em 1959. Entre os anos 1960 e 1963, as histórias começaram a ganhar a identidade atual, tendo Mônica e Cebolinha como protagonistas.

As primeiras tirinhas de Maurício eram publicadas no antigo Jornal da Manhã. Com o tempo, os personagens foram se desenvolvendo e saltaram para as páginas da revistinha Mônica e sua Turma, que teve sua primeira edição publicada em 1970.

O sucesso das histórias rapidamente fez com que os quadrinhos começassem a competir nas bancas com títulos estrangeiros como Pato Donald, Zé Carioca e Luluzinha. Com isso, outros personagens logo ganharam suas próprias revistas também. O primeiro deles foi Cebolinha, em 1973, seguido por Cascão e Chico Bento, ambos em 1982, e por fim, em 1989, a comilona Magali.

Além dos moradores do Bairro do Limoeiro, que são os integrantes da Turma da Mônica, várias outras turmas fazem parte do mesmo universo, como a Turma do Chico Bento, do Bidu, do Horácio, do Penadinho, da Tina, do Piteco, do Astronauta e até mesmo a Turma do Ronaldinho Gaúcho, criada para homenagear o famoso jogador de futebol. Mas as páginas dos quadrinhos não foram suficientes.

Ao longo dos mais de 50 anos de existência, Mônica e seus amigos já ganharam série de animação (considerada a primeira feita no Brasil), longas-metragens animados, peças de teatro, CDs de músicas infantis, DVDs, videogames, jogos, produtos personalizados, lojas e até mesmo um parque temático. Além dos gibis, que são comercializados em 40 países em 14 idiomas diferentes. Mas o que a Turma da Mônica nunca teve, foi um live-action. Até agora.

 

Laços

Recentemente, a Maurício de Sousa Produções anunciou que pela primeira vez, Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e outros personagens serão interpretados por crianças de verdade. Os atores Giulia Barreto (9 anos), Kevin Vechiatto (11 anos), Gabriel Moreira (9 anos) e Laura Rauseo (9 anos) foram escolhidos após uma série de testes e apresentados para o público em um vídeo que mostra Maurício e sua filha Mônica dando a eles a notícia de que ganharam os papéis.

Cascão (Gabriel), Cebolinha (Kevin), Mônica (Giulia) e Laura (Magali) ao lado de Maurício de Souza e sua filha, Mônica

A estreia do longa estrelado pela turma está prevista para julho do ano que vem e será comandado por Daniel Rezende, responsável por Bingo: O Rei das Manhãs (2017), filme brasileiro que é candidato ao Oscar 2018, além de ter trabalhado como editor em filmes como A Árvore da Vida (2011), Ensaio sobre a Cegueira (2008) e Cidade de Deus (2003), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar da categoria.

Os irmãos Caffagi fizeram um trabalho impecável na concepção do personagens, assegurando-lhes roupagens modernas que remetem claramente as vestimentas clássicas dos quadrinhos originais

O filme será baseado na graphic novel Turma da Mônica: Laços. A obra faz parte do projeto Graphic MSP, que traz releituras dos personagens de Maurício de Sousa sob a visão de artistas brasileiros com diferentes estilos. Os irmãos Vitor e Lu Cafaggi foram os responsáveis pela história e pelos desenhos. Com traços muito mais finos e minimalistas que os originais, o livro publicado em 2013 traz uma versão mais delicada e sensível dos personagens, que se estende aos aspectos narrativos em uma história tão tocante quanto os desenhos.

Inspirado em filmes infanto-juvenis dos anos 80, como Os Goonies (1985) e Conta Comigo (1986), Laços adaptará a aventura de Mônica e seus amigos para encontrar Floquinho, o cachorro do Cebolinha, que desapareceu. A trama tem um clima de mistério e de saudosismo, fazendo menção a antigas historinhas e a experiências de vida do próprio Maurício de Sousa, como uma homenagema vida e trabalho do autor.

Com o sucesso recente de produções que resgatam o clima oitentista, como a série de TV Stranger Things (2016) e o remake do filme de It – A Coisa (2017), a adaptação cinematográfica de Laços tem tudo para conquistar crianças de todas as idades. Inclusive as que já cresceram, mas não perderam o amor por Mônica e sua turma.


stephanie torres

22 anos e formada em Jornalismo. assiste mais Séries do que deveria, lê menos Livros do que gostaria, finge que a vida é um Filme e ouve Música como trilha sonora (especialmente Taylor Swift)

Comente com a gente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top