skip to Main Content
Homem-Aranha E Suas Representações No Cinema

Homem-Aranha e suas representações no cinema

O Homem-Aranha dos quadrinhos

O Homem-Aranha sempre foi um dos heróis mais populares dos quadrinhos. No meio de bilionários, deuses, pessoas geneticamente modificadas e seres de outros planetas, o adolescente do Queens que ganha superpoderes após ser picado por uma aranha radioativa é um sucesso de público desde sua criação, principalmente graças a facilidade de identificação com o herói.

Por isso, era eminente que o famoso Cabeça de Teia saísse das páginas das HQs e dominasse outras mídias. A história de Peter Parker já foi adaptada para desenhos animados, séries de TV, videogames, livros para colorir, romances, livros infantis e até mesmo ganhou um musical na Broadway.

Porém, as adaptações cinematográficas foram as que renderam mais holofote para o herói. A primeira trilogia de filmes, produzidos pela Sony, teve o seu primeiro filme estreando em 2002. Interpretado por Tobey Maguire, o Peter Parker dos primeiros longas estava no seu último ano do ensino médio, mas logo se formou e começou a trabalhar como fotógrafo freelancer, fornecendo fotos do Homem-Aranha para o famoso jornal fictício Clarim Diário.

Junto a isso, outras características canônicas do personagem estão bem representadas no filme, como o amor de Peter pela amiga de escola Mary Jane (Kirsten Dunst), principal motivação para a maioria das ações do herói. Também, por ter perdido os pais muito cedo, a relação de Peter com Tia May e Tio Ben, responsáveis pela criação do protagonista, é bem explorada no filme.

Peter Parker é um jovem estudioso que vive com seus tios, Ben e May, desde que seus pais faleceram. Inteligente e com um grande interesse pela ciência, Peter tem dificuldade em se relacionar com seus colegas, por ser tímido e por eles o considerarem um nerd. Até que, em uma demonstração científica, um acidente inesperado faz com que aranha modificada geneticamente pique Peter. A partir de então seu corpo é quimicamente alterado pela picada da aranha, fazendo com que Peter possa emitir pelos punhos um fluido ultra-resistente semelhante à uma teia de aranha, além de superforça e visão ampliada. Eventualmente, Peter decide não usar seus poderes para proveito próprio e sim para enfrentar o mal, tendo como seu primeiro grande desafio enfrentar o psicótico Duende Verde. (AdoroCinema)

É graças a uma picada de uma aranha radioativa que o magro e míope Peter Parker se torna forte, ganha a capacidade de escalar superfícies lisas, reflexos apurados e a habilidade de soltar teias pelo braço. No filme dirigido por Sam Raimi, a teia de Peter sai de seu corpo de forma orgânica, uma mudança inteligente e controversa, deixando de lado os lançadores de teia produzidos por Parker.

Até hoje, no entanto, Tobey Maguire continua sendo o Aranha preferido de muitos fãs. Afinal, ele foi a primeira imagem live-action do herói pra muitos, ocupando um espaço na memória afetiva.

A primeira tentativa de Peter Parker (Tobey Maguire) em lançar sua teia é um dos momentos mais icônicos (e engraçados) da primeira trilogia do Homem-Aranha

A produção cinematográfica transformou-se em uma trilogia, tendo as suas duas sequências estreando em 2004 e 2007. Sucessos de bilheteria, apenas os dois primeiros capítulos agradaram a crítica. No Rotten Tomatoes, site agregador das críticas especializadas, o primeiro filme detém 89% de aprovação dos críticos, enquanto o segundo alcançou a marca dos 94%, e o terceiro atingiu apenas 63%. Juntos, os três filmes fizeram quase US$ 2,5 bilhões em bilheteria ao redor do mundo. Ironicamente, a terceira película foi o capítulo que mais arrecadou. O custo total de produção pelos três filmes foram de quase US$ 600 milhões.

O Espetacular Homem-Aranha estreou em 2012 como um reboot da franquia. Dessa vez, Andrew Garfield assumiu o uniforme do herói aracnídeo, dando vida a um Peter Parker mais descolado, que andava de skate e se distanciava um pouco da imagem clichê nerd de Peter, ainda que o personagem continuasse sendo um gênio da ciência.

O humor característico do Homem-Aranha nos quadrinhos começou a aparecer mais ativamente nessa nova versão. E não só isso, mas pela primeira vez, pudemos ver o herói produzindo sua própria teia e a lançando com um dispositivo que ele mesmo criou. Aqui, o interesse amoroso de Peter é Gwen Stacy (Emma Stone), personagem que nos quadrinhos antecede o relacionamento com Mary Jane.

Antes de Mary Jane, Peter Parker (Andrew Garfield) mantinha um relacionamento com Gwen Stacy (Emma Stone)

O principal diferencial dessa adaptação foi o plot dos pais de Peter. Apesar de terem morrido antes do tempo cronológico do filme, foram mostrados em flashbacks. As voltas ao passado estabelecem uma relação das descobertas científicas dos pais do garoto com os poderes que ele adquiriu.

Peter Parker é um rapaz tímido e estudioso, que inicou há pouco tempo um namoro com a bela Gwen Stacy, sua colega de colégio. Ele vive com os tios, May e Ben, desde que foi deixado pelos pais, Richard e Mary. Certo dia, o jovem encontra uma misteriosa maleta que pertenceu a seu pai. O artefato faz com que visite o laboratório do dr. Curt Connors na Oscorp. Parker está em busca de respostas sobre o que aconteceu com os pais, só que acaba entrando em rota de colisão com o perigoso alter-ego de Connors, o vilão Lagarto. (AdoroCinema)

Porém, O Espetacular Homem-Aranha e sua sequência, O Espetacular Homem-Aranha 2 – A Ameaça de Electro, lançada em 2014, não repetiram o sucesso da trilogia anterior. A recepção de ambos os filmes foi bastante morna nos quesitos bilheteria e críticas. Juntos, os dois títulos arrecadaram US$ 1,5 bilhão, com um orçamento na casa dos US$ 400 milhões (Fontes 1 e 2). Nos Estados Unidos, os dois filmes conseguiram uma bilheteria de “apenas” pouco mais de US$ 460 milhões, considerados um número bastante tímido e pouco expressivo perto do orçamento gasto para produzir ambos. Nas críticas, o filme de 2012 detém 72% de aprovação no Rotten Tomatoes, enquanto o de 2014 alcançou menos, tendo 52%.

A baixa receptividade acabou forçando a Sony a cancelar os planos para o terceiro filme da saga, que já havia sido confirmado. Para não perder os direitos sob a personagem, o estúdio logo começou a elaborar um novo reboot do Amigão da Vizinhança, fechando, pouco tempo depois, uma parceria inédita com a Marvel Studios.

Peter Parker (Andrew Garfield) em um de seus primeiros momentos como o aracnídeo em “O Espetacular Homem-Aranha”

Esse acordo firmado entre os dois estúdios estabelece que a Casa das Ideias tenha liberdade e poder criativo na produção do longa. Isso garante que não só o novo filme solo do herói faça parte do mesmo universo que os Vingadores, mas que o presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, possa tomar decisões durante o processo criativo do longa, como a escolha do ator que interpretará o protagonista ou quem será o diretor e o roteirista da projeção.

O acordo também estabelece que os lucros provenientes de bilheteria dos filmes solos do amigão da vizinhança são destinados somente à SONY. Isso significa que a Marvel não vai ver a cor dos U$ 117,027,503, arrecadados somente no fim de semana de estreia por De Volta ao Lar. Por outro lado, a Marvel é detentora dos direitos de merchandising de todos seus heróis, o que faz com que todos os lucros provenientes das vendas de produtos licenciados vão para as contas da Casa das Ideias. Sendo assim, qualquer produto de Homem-Aranha: De Voltar ao Lar, que não seja audiovisual, é de responsabilidade comercial da Marvel.

Ainda, a parceria permite o estúdio de utilizar o Peter Parker de Tom Holland em cinco filmes de seu universo cinematográfico expandido (o MCU), sendo que duas destas aparições ocorreram em Capitão América: Guerra Civil (2016) e De Volta ao Lar. Holland já foi confirmado no elenco de Vingadores: Guerra Infinita (2018) e retornará como Homem-Aranha no quarto filme da equipe de heróis, previsto para 2019. O quinto filme do contrato entre os estúdios provavelmente será a sequência do filme solo do aracnídeo, sem data de estreia ou inicio de produção confirmados.

A versão atual do Homem-Aranha foi apresentada em 2016, ganhando uma aparição no bem recebido Capitão América: Guerra Civil. Interpretado por Tom Holland, o novo Peter foi recrutado por Tony Stark, o Homem de Ferro, para unir-se ao seu time na batalha contra o time do Capitão América. A participação do aracnídeo no filme era o pontapé da Marvel para inserir a personagem em seu Universo Estendido, dando-lhe um filme solo no ano seguinte, em sua parceria com a Sony.

Homem-Aranha: De Volta Ao Lar, filme solo do herói que acaba de chegar aos cinemas, traz várias inovações para história já conhecida. A maior de todas é, obviamente, a relação com os demais heróis do MCU (Universo Cinematográfico da Marvel, em tradução livre), porém não é a única. O filme traz um Aranha adaptado para a geração atual, que ao invés de fotógrafo, é uma estrela do Youtube. Seu traje ganhou um upgrade tecnológico feito pelo Sr. Stark, cuja relação acaba substituindo a relação que Peter tinha com a família nos longas antigos. Aqui, Tony Stark acaba assumindo o papel que antes era do Tio Ben.

A adaptação opta em não repetir a já bem conhecida e muito explorada história da origem do Homem-Aranha. Ao invés de mostrar Parker descobrindo seus poderes, a película mostra o garoto aprendendo a dominar a tecnologia de sua nova roupa.

A escolha de um ator jovem como protagonista (Holland tem 21 anos, enquanto Tobey tinha 27 no lançamento de seu primeiro filme e Andrew, 29) resultou em um Peter também mais novo, o que faz com que o seu lado aluno do colegial seja melhor explorado e se torne parte importante na trama. Afinal, Peter não é só um super-herói tentando descobrir o seu espaço em um universo que já conta com vários Vingadores, mas é também um garoto de 15 anos que está apaixonado por uma menina de sua escola e precisa conviver com as constantes provocações do valentão do colégio.

O filme foi bem recebido pelo público e pela crítica. No Rotten Tomatoes o filme tem um total de 92% de aprovação dos críticos, estabelecendo um empate no pódio de “filmes com % maior aprovação” da nova leva de filmes de super-heróis, dividindo o prêmio com Mulher-Maravilha (2017). Já de acordo com o Box Office Mojo, site que agrega as bilheterias domésticas e mundiais dos filmes, a película fez mais de US$ 117 milhões na sua semana de estreia, já contando com quase US$ 500 milhões em bilheteria ao redor do mundo em suas duas semanas em exibição.

Ainda é cedo para estabelecer o quão bem-sucedido financeiramente o filme foi. O seu custo de produção é de US$ 175 milhões, já tendo arrecado, dentro dos Estados Unidos, US$ 230 milhões (dados de 21/jun.).

Em “Homem-Aranha: De Volta ao Lar”, Peter Parker (Tom Holland) é um jovem de 15 anos e já está estabelecido como o Homem-Aranha, embora sonhe em fazer parte d’Os Vingadores

Mais dois filmes solo do Homem-Aranha já foram confirmados dar continuidade à nova franquia. Ao mesmo tempo, Peter Parker ainda fará uma participação em Os Vingadores: Guerra Infinita (2018), além de Os Vingadores 4, que ainda não possui título ou data de estreia.


O NOVO HOMEM-ARANHA

– O ator britânico Tom Holland começou a atuar profissionalmente com 12 anos no musical Billy Elliot;

– Estreou no cinema em 2012 no filme O Impossível;

– Ele praticou ginástica artística quando criança, o que foi um dos diferenciais que o fez conseguir o papel de Homem-Aranha;

O Homem-Aranha sempre foi o super-herói preferido do ator, que é grande fã da Marvel;

– Inclusive, Holland disse em entrevista que pediu a seu agente que lhe conseguisse uma audição para o papel de Peter Parker apenas porque ele queria ter a oportunidade de conhecer o pessoal da Marvel;

Tom descobriu que tinha conseguido o papel de Homem-Aranha pelo Instagram da Marvel. Ele pensou que o site da empresa tivesse sido hackeado e só depois de meia hora recebeu uma ligação confirmando que o papel era mesmo dele;

Holland descreve sua primeira vez vestindo o traje do Aranha como “decepcionante”. Isso porque ele começou a filmar apenas alguns dias após ser escalado e ainda não tinha um traje sob medida. Então ele teve que usar o do seu dublê, que era maior que ele;

– Ele foi proibido de ler o roteiro de Vingadores: Guerra Infinita pois sempre acaba soltando spoiler dos filmes que atua em entrevistas. Tom só teve acesso as cenas em que está presente e em alguns momentos chegou a gravar cenas de luta sem saber qual vilão estava enfrentando.


stephanie torres

22 anos e formada em Jornalismo. assiste mais Séries do que deveria, lê menos Livros do que gostaria, finge que a vida é um Filme e ouve Música como trilha sonora (especialmente Taylor Swift)

Comente com a gente!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Back To Top