skip to Main Content
Oscar 2018: As Apostas Da ZINT

Oscar 2018: As apostas da ZINT

Os Oscar 2018 acontecem esta noite. A cerimônia mais importante do mundo do Cinema é bastante especial este ano, como já explicado aqui, e está bastante acirrada, tornando difícil para os membros da Academia escolherem os seus favoritos (que foi explicado aqui como é feito). Agora, é hora da ZINT selecionar os seus favoritos para levarem as estatuetas, baseado nas críticas que realizamos ao longo das Edições. Será que vamos caminhar bem nas nossas apostas?


Melhor Filme // A Forma da Água 

É o favorito a vencer, mesmo com o Três Anúncios Para Um Crime, que venceu o BAFTA e o SAG (sindicato dos atores), e o Corra! ganhando folego nos últimos meses. O filme levou o prêmio no PGA (sindicato dos produtores), é o “filme do momento” e, além de ser um bom filme, trata de temas que a Academia gosta. Acho difícil de não levar.

Quem levou: A Forma da Água.


Melhor Direção // Guillermo del Toro, por “A Forma da Água”

Venceu o DGA (sindicato dos diretores) e o BAFTA, é o diretor responsável pelo filme com mais indicações e tem uma traço autoral muito marcante na produção. Acho difícil de não levar, mas o Jordan Peele tem fôlego na corrida pelo trabalho em Corra!, não é atoa que levou o premio de Melhor Diretor Estreante no DGA.

Quem levou: Guillermo del Toro, por “A Forma da Água”.


Melhor Atriz // Frances McDormand, por “Três Anúncios para um Crime”

Ganhou o SAG, o BAFTA e é a protagonista do filme que levou o prêmio máximo do SAG. A essência do Três Anúncios Para Um Crime depende muito da atuação dela e ela entrega em todos os sentidos. 

Quem levou: Frances McDormand, por “Três Anúncios para um Crime”.


Melhor Atriz Coadjuvante // Allison Janney, por “Eu, Tonya”

Ganhou o SAG e o BAFTA. Tem uma atuação intensa e que cria uma personagem marcante na vida da protagonista do filme (Eu, Tonya). A Laurie Metcalf (Lady Bird) também vem com força, mas acredito que a aposta segura é a Alisson B. Janney.

Quem levou: Allison Janney, por “Eu, Tonya”.


Melhor Ator // Gary Oldman, por “O Destino de uma Nação”

Venceu o SAG, o BAFTA e entrega uma atuação em que se transforma no Churchill. O filme depende muito dele pra funcionar e ele encabeça todas as listas nas casas de apostas.

Quem levou: Gary Oldman, por “O Destino de uma Nação”.


Melhor Ator Coadjuvante // Sam Rockwell, por “Três Anúncios para um Crime”

Levou o SAG e o BAFTA pela atuação no Três Anúncios Para Um Crime e assim como o Gary Oldman é uma das apostas mais certas nas casas de apostas.

Quem levou: Sam Rockwell, por “Três Anúncios para um Crime”.


Melhor Roteiro Original // Jordan Peere, por “Corra!”

Jordan Peele fez um filme com um texto excelente e que trata de temas importantes, atuais e de uma forma muito contundente e por isso venceu o WGA (Sindicato dos Roteiristas). Como não deve levar o de direção, pode ganhar mais votos em roteiro para sair premiado e reconhecido pela Academia. Entretanto, Martin McDonagh não concorreu ao prêmio do Sindicato e vem forte na corrida pelo trabalho em Três Anúncios Para Um Crime.

Quem levou: Jordan Peere, por Corra!.


Melhor Roteiro Adaptado // James Ivory, por “Me Chame Pelo Seu Nome”

James Ivory levou o WGA e o BAFTA e pode ganhar votos para que Me Chame Pelo Seu Nome seja reconhecido em alguma categoria.

Quem levou: James Ivory, por “Me Chame Pelo Seu Nome”.


Melhor Fotografia // Roger Deakins, por “Blade Runner 2049”

Além do trabalho absurdo que ele fez no filme, o Deakins nunca venceu mesmo com diversas indicações, o que pode impulsionar ainda mais para finalmente consagra-lo. É um dos maiores e melhores na profissão e deve levar dessa vez e ganhou o ASC (prêmio do sindicato dos diretores de fotografia).

Quem levou: Roger Deakins, por Blade Runner 2049.


Trilha Sonora // A Forma da Água

Acho que é uma categoria que não da pra cravar muito, mas por A Forma da Água ser o filme do momento acho que tem vantagem. Apesar disso, não me surpreenderia o Hans Zimmer levar pelo Dunkirk, por ser um filme que depende muito da trilha sonora para a experiência e porque ele teve um trabalho magistral também no Blade Runner, o que acaba levando aos eleitores a fazer um “voto duplo”. Johnny Greenwood fez um trabalho incrível em Trama Fantasma e também tem folego na disputa.

Quem levou: “A Forma da Água”.


Melhor Maquiagem // O Destino de Uma Nação

Apesar do trabalho maravilhoso de criação da criatura anfíbia em A Forma da Água, acho que O Destino de Uma Nação leva por conseguir transformar o Gary Oldman no Churchill. 

Quem levou: “O Destino de Uma Nação”.


Melhor Figurino // Trama Fantasma 

Não é atoa que os vestidos do longa são tratados como obras de arte pelo protagonista. Apesar de A Forma da Água ter vencido o prêmio de melhor figurino de época no sindicato, acredito que Trama Fantasma seja o vencedor.

Quem levou: “Trama Fantasma”.


Melhor Montagem // Dunkirk

Levou o prêmio do sindicato e usa muito da montagem pra construir o nervosismo e a angustia de acompanhar a atmosfera visceral de guerra. A narrativa não linear também depende muito da montagem e da forma como as cenas combinam as explosões e tiros para as mudanças de posicionamento no olhar dos planos.

Quem levou: “Dunkirk”.


Melhor Edição de Som // Blade Runner 2049

É uma categoria muito imprevisível, principalmente com filmes como Dunkirk e Baby Driver na disputada. Acho que Blade Runner leve, mas não me assustaria se os outros dois forem premiados.

Quem levou: “Dunkirk”.


Melhor Mixagem de Som // Dunkirk

A combinação de todos elementos sonoros do filme é muito orgânica e um dos principais responsáveis por tornar o filme uma experiência intima e realista com a guerra. Mesmo sendo um filme de guerra com sons muito variados e muito altos, ainda assim da para compreender as falas, identificar todos os sons criados pro filme e a combinação dos sons com a trilha sonora.

Quem levou: “Dunkirk”.


Melhor Design de Produção // A Forma da Água

Essa categoria da pra premiar qualquer um, todos são impecáveis. Mas como o A Forma da Água é o “filme do momento”, os trabalhos do Del Toro sempre tem muita força nessa categoria e ele sempre é muito elogiado por construir sets, ambientes e usar muito efeito prático. 

Quem levou: “A Forma da Água”.


Canção Original // Remember Me, de “Viva – A Vida é Uma Festa”

Acredito que seja uma das disputas mais acirradas da premiação. O trabalho da dupla de Viva – A Vida é Uma Festa entrega uma música delicada, tocante e muito forte no filme, mas This is Me (O Rei do Show) também tem muitas chances pelo ótimo trabalho da equipe responsável por La La Land.

Quem levou: “Remember Me”, de “Viva – A Vida é uma Festa”


Efeitos Visuais // Planeta dos Macacos: A Guerra

Os outro dois filmes da trilogia ainda não foram premiados pela Academia e o trabalho de captação gráfica e de CGI do longa são absurdos e um verdadeiro marco na indústria.

Quem levou: “Blade Runner 2049”.


Melhor Filme Estrangeiro // Uma Mulher Fantástica

O filme chileno é um belo filme e ganha muito fôlego na corrida por ter uma atriz trans no protagonismo e como o Oscar também é espaço para manifestação política e isso, muitas vezes, conta mais do que a qualidade dos filmes e trabalhos. The Square ganhou Cannes e vem com fôlego pra levar o prêmio também. É um filme que debate a essência da arte, seus limites e desafios – coisa que a Academia adora pra pensar dentro da indústria cinematográfica, mas acho que fica com o chileno.

Quem levou: “Uma Mulher Fantástica”.


Melhor Animação // Viva – A Vida é Uma Festa

No fim das contas a Pixar sempre tem muita força em premiações. Mais uma estatueta para o estúdio.

Quem levou: “Viva – A Vida é uma Festa”.


Melhor Documentário // Visages, Villages

É uma categoria muito disputada que pode promover momentos históricos e legais na cerimônia. Se Visage, Villages vencer Agnés Varda se tornará a pessoa mais velha a vencer o Oscar, com 89 anos. Além disso, ela será homenageada na cerimônia durante o Oscar de Honra, juntamente de outros três cineastas. Por outro lado, Ícaro, de Bryan Fogel, também tem muitas chances e seria muito expressivo por se tratar de um documentário produzido pela Netflix. 

Quem levou: “Ícaro”.


Ao todo, nossa equipe acertou 18 das 21 categorias em que fizemos apostas!

ZINT

A ZINT é uma revista online de Entretenimento e Cultura Popular, lançada mensalmente de forma gratuita e colaborativa. São diversas matérias nas áreas de Filmes, Séries, Música, Literatura, Jogos, Fotografia, Tirinhas, Indicações e Playlists.

Comente com a gente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top