Divagando | “7 Rings” e a relevância de Ariana Grande

Divagando | “7 Rings” E A Relevância De Ariana Grande

Ariana Grande prova, com sua nova fase “thank u, next”, que não tem medo de evoluir, lançando faixas de estrondoso sucesso em todos os cantos do mundo.


O cenário da música pop está em constante mudança, sendo formado pelo misto de artistas veteranos, novas relevelações e cantores que ainda usufruem do auge de suas carreiras. Neste meio está Ariana Grande, na terceira categoria, ganhando cada vez mais espaço e se tornando mais e mais relevante na indústria.

  • Save

A cantora norte-americana surgiu como atriz de séries teen do canal Nickelodeon, com Victorious e Sam & Cat. Aproveitando seu sucesso, se lançou no mundo da música em 2013, com o Yours Truly, um disco todo influenciado no R&B e cheio de incansáveis amostras de sua capacidade de reproduzir o whistle, marcas registradas de Mariah Carey – motivo que levou o mundo todo a comparar as duas cantoras, levando Grande a ser constantemente chamada de “Nova Mariah Carey”.

 

Sweetener

Aos poucos, a jovem garota passou a depender (bem) menos do whistle, adquirindo uma personalidade musical própria e apostando mais em seu alcance vocal. Com álbuns misturando pop e R&B, a grande mudança sonora de Ariana foi cravada pelo Sweetener, álbum de 2018.

Ainda que o disco faça uso dos dois gêneros, a cantora passa a fazer uso de instrumentais mais experimentais, minimalistas e cheios de trap, trazendo uma nova sonoridade à sua carreira. O projeto também é marcado pelo liricismo mais carregada de um lado político, onde Ariana usa sua plataforma para o feminismo e empoderamento (como em God is a woman, onde ela eleva a figura feminina ao status de divindade), ao mesmo tempo em que relata um pouco de sua história e problemas pessoais (em breathin’, ela canta sobre ansiedade).

 

thank u, next

Embora tenha alcançando um excelente retorno da crítica especializada e indo ao topo das paradas de quase 20 países, o Sweetener foi rapidamente colocado de lado.

  • Save
A nova era de Ariana Grande é iniciada pela aspiral da morte de Mac Miller e seguida pelo fim de seu noivado com Pete Davidson. A artista, com sua personalidade um tanto debochada, sincera e cheia de si (tudo, de forma positiva), facilmente perceptível por suas interações no Twitter, usa disso para lançar, em novembro de 2018, thank u, next, faixa-título e carro chefe de seu vindouro álbum.

Em um clipe fazendo homenagem à grandes clássicos do cinema teen, como Meninas Malvadas (2004) e Legalmente Loira (2001), Grande canta sobre superação. Agradecendo seus namorados (o rapper Big Sean, o dançarino e fotógrafo Ricky Alvarez, o rapper Mac Miller e o comediante Pete Davidson), ela fala ter aprendido algo valioso com cada um deles, e que mal espera pelo próximo nome da lista (“Obrigado, próximo”).

Provando o seu peso e relevância na atual indústria pop, a faixa foi um sucesso instantâneo. Além de alcançar o topo das paradas musicais de 17 países (incluindo a Billboard Hot 100), o single também foi, por um breve período de tempo, a faixa mais executada no Spotify em um único dia, com 9.6 milhões de streamings. Nos EUA e no Reino Unidothank u, next já possui o certificado de Platina, com mais de 1 milhão de cópias comercializada e 600 mil, respectivamente.

 

7 rings

Continuando a degustação do álbum thank u, nextAriana deu ao público Imagine, uma balada R&B com um instrumental muito inspirado no trap music. Mas o grande destaque fica mesmo com 7 rings, liberada hoje pela cantora.

O single é iniciado por um instrumental minimalista que logo é substituído pelo trap e hip-hop, trazendo um genial sample de My Favorite Things, música do filme A Noviça Rebelde (1965) e interpretada por Julie Andrews. Assim como na faixa de AndrewsGrande lista tudo aquilo que ama, mas adiciona seu próprio twist: ela exalta sua fortuna, afirmando que não há limite para seus gastos – o que ela quer, ela consegue.

  • Save
Colocado como um “hino para amizade” cujo primeiro verso narra as aventuras que inspiraram a música (uma manhã de compras na Tiffany, luxuosa loja de joias), Ariana coloca o single como uma sucessão lírica natural para thank u, next. Se no primeiro ela ainda se sentia meio perdida com os fins de seus relacionamentos, agora ela já se encontrou e seguiu com sua vida – graças as suas amigas, que ganharam caríssimos aneis de amizades (daí o título da faixa, “7 anéis”).

7 rings é uma incrível adição ao catálogo musical de Ariana, provando que artista não está se limitando e aposta alto em sua evolução, seja ela vocal, lírica ou sonora. Não só isso, mas o mercado mostra que está do lado da empreitada de Grande, que dá à cantora seus diversos #1, recordes e certificados.

Em menos de 24h de seu lançamento, 7 rings já está no topo do iTunes de 59 países, incluindo o Brasil. No Youtube, as visualizações do clipe já ultrapassam 10 milhões, subindo rapidamente. Os números colocam a artista como uma verdadeira mina de ouro e um dos nomes mais relevantes do atual cenário musical pop, que de uma forma geral passa por uma mini crise e está órfã de nomes de peso e icônicas carreiras, como acontecia com cantoras como Britney Spears e Lady Gaga há cerca de uma década.

O sucesso também veio acompanhado de polêmica. Logo após o lançamento oficial, Ariana foi acusada de plágio pela rapper porto-riquenha Princess Nokia, cuja faixa Mine, lançada há mais de um ano, é realmente muito semelhante à lançada por Grande.

  • Save

thank u, next ainda não tem uma data de lançamento oficial, mas está previsto para sair entre outubro e dezembro. E se os singles lançados até agora são, realmente, um espelho do que Ariana Grande está preparando, o álbum tem tudo para ser um estrondo sucesso e cravar, de uma vez por todas, o nome da cantora na história da música pop.

vics

tem 24 anos e é formado em Jornalismo pela PUC Minas, com um MBA em Comunicação e Marketing. é o Diretor de Arte da revista, sendo o responsável pela criação da identidade visual da zine. ainda, escreve matérias sempre que tem uma boa pauta.

ao todo, já assistiu o correspondente a 13 meses em Séries, três meses em Filmes e em 2017 foram dois meses em reprodução de Música.

Back To Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap